Captura de tela de uma publicação no Facebook disseminando a informação falsa, feita 18 de setembro de 2018 (Facebook / AFP)

Não, a presidente da Croácia não vendeu o avião presidencial e reduziu seu salário pela metade

Publicações muito compartilhadas  nas redes sociais afirmam que a presidente croata “vendeu o avião presidencial”, “vendeu os 35 Mercedes Benz que estavam designados aos ministros e outros funcionários” e “baixou o seu salário e o dos ministros ao meio”. Essas afirmações são falsas ou inexatas.

Captura de tela de uma publicação no Facebook disseminando a informação falsa, feita 18 de setembro de 2018Captura de tela de uma publicação no Facebook disseminando a informação falsa, feita 18 de setembro de 2018 (Facebook / AFP)

“Também podemos pedir emprestado o povo croata aqui pro Brasil….. Quem sabe aprendemos a apoiar as pessoas certas……” afirma um internauta. “É um ótimo exemplo para o Brasil”, comenta um usuário em uma das várias publicações, de praticamente mesmo conteúdo, que circularam no Facebook.

Postagens quase idênticas também foram compartilhadas em outras línguas (árabe, inglês, espanhol, francês e somaliano) centenas de milhares de vezes.

No entanto, estas afirmações sobre Kolinda Grabar-Kitarovic são falsas ou inexatas, e não atentam para o fato de que o poder da presidente croata é em grande parte protocolar - a verdadeira autoridade está nas mãos do Primeiro-ministro Andrej Plenkovic.

O sistema político croata é um regime parlamentar onde o Primeiro-ministro, eleito pela maioria do Parlamento, conduz a política nacional e estrangeira. O presidente da República não tem poder executivo.

Checamos as afirmações feitas sobre a presidente Kolinda nas redes sociais

1 - “Vendeu o avião presidencial”

Falso. A presidente croata não possui avião presidencial - e, se tivesse, ela não teria poder para ordenar sua venda. No entanto, existe um avião oficial do Estado croata, mas ele é utilizado tanto pela presidente quanto pelo Primeiro-ministro e parlamentares. Esta foto, feita no último mês de janeiro em Sarajevo, capital da Bósnia-Herzegovina, mostra Grabar-Kitarovic descendo do aparelho.

Presidente croata Kolinda Grabar Kitarovic posa para fotos depois de um encontro privado com a família do fótografo AFP salvadorenho Yuri Cortez no palácio presidencial em Zagreb, 6 de setembro de 2018 (AFP / Yuri Cortez)Presidente croata Kolinda Grabar Kitarovic posa para fotos depois de um encontro privado com a família do fótografo AFP salvadorenho Yuri Cortez no palácio presidencial em Zagreb, 6 de setembro de 2018 (AFP / Yuri Cortez) (AFP / Yuri Cortez)

2 - “Vendeu os 35 Mercedes Benz que estavam designados aos ministros e outros funcionários”

Não há indícios. Mesmo se a presidente desejasse, não poderia fazê-lo pois, como já explicado, não tem poder para isso. Nenhuma comunicação do governo croata foi realizada sobre este assunto, e nenhum meio de comunicação croata ou estrangeiro mencionou tal fato.

3 - “Baixou seu salário e dos ministros ao meio”

Falso. Novamente, a presidente não tem poder para decidir isso. Segundo meios de comunicação croatas, seu salário aumentou - assim como o de outros oficiais croatas. Depois de uma reforma fiscal, que aconteceu após ter assumido o cargo em 2015, sua remuneração mensal passou de 3.069 a 3.340 euros.

4 - “Eliminou a aposentadoria para senadores e congressistas”

Falso. Mais uma vez, a presidente Kolinda não tem poder para eliminar a aposentadoria dos membros do Parlamento croata, que é unicameral (não tem, portanto, senadores).

5 - “Ela fala 7 linguas”

Verdadeiro. Kolinda fala croata e outras 6 seis idiomas, confirmou a assessoria presidencial à AFP. Ela é fluente em inglês, espanhol e português e tem conhecimentos de alemão, italiano e francês.

Kolinda Grabar-Kitarovic foi alvo de diversas alegações falsas nas redes sociais desde 2015. As histórias voltaram a circular depois que a Croácia teve um bom desempenho na Copa do Mundo 2018, conquistando o segundo lugar. Uma das versões chegou a confundi-la como uma atriz de filmes pornográficos.

Guillaume Daudin
Lajla Veselica
Tori Otten
AFP Brasil