Não há provas de que Keanu Reeves tenha criticado homens que “vestem suas mulheres como objetos”

Copyright © AFP 2017-2021. Todos os direitos reservados.

Palavras atribuídas ao ator canadense Keanu Reeves, nas quais ele supostamente critica um mundo “onde os homens vestem suas mulheres como objetos” e no qual elas “não querem filhos”, entre outras afirmações, foram compartilhadas mais de 44 mil vezes em redes sociais desde novembro de 2016. No entanto, não há provas de que Reeves tenha dado estas declarações nas redes, ou em entrevistas.

A mensagem, muito compartilhada desde 2016, é sempre semelhante: “Eu não posso ser parte de um mundo onde os homens vestem suas esposas como objetos, mostrando tudo o que deve ser apreciado. [...] Onde as mulheres não querem filhos, e os homens não querem uma família”, começa, criticando em seguida o materialismo.

Ilustrado na maioria dos casos com uma imagem do protagonista da trilogia “Matrix”, o texto circula no Facebook (2016, 2017, 2018, 2019 e 2020), Instagram e em artigosincluindo este do site O Segredo que acumulava 44 mil compartilhamentos, segundo a ferramenta CrowdTangle, antes de ser deletado.

“Keanu Reeves uma mensagem poderosa para o mundo”, diz o título de uma publicação, que também garante que “a cada poucos meses” o ator “dá ao mundo o dom de seus pensamentos”

Captura de tela feita em 4 de dezembro de 2020 de uma publicação no Facebook

O fragmento também circula em inglês, espanhol e eslovaco. No entanto, uma busca no Google pelas palavras atribuídas ao intérprete, em inglês, não localizou qualquer registro que confirme que ele tenha dado tais declarações.

Paul Gauguin e um dublador russo

O vínculo mais antigo localizado pela AFP entre Reeves e estas palavras é um vídeo de setembro de 2015 publicado no YouTube com o título: “Keanu Reeves - pensamentos muito profundos”, escrito em inglês e russo.

Na gravação, o ator, disposto em frente a uma pintura, fala com alguém que está por trás das câmeras enquanto uma voz em off parece dublar as suas palavras, em russo. O dublador diz o mesmo do texto viralizado, mas essa narração não corresponde às palavras que eram ditas em inglês por Reeves.

As imagens foram gravadas na estreia de uma exposição dedicada ao pintor francês Paul Gauguin, na Fundação Beyeler da Basileia, na Suíça, em fevereiro de 2015. Na gravação original, Reeves falava sobre sua origem havaiana e sobre a relação de Gauguin com o Taiti.

Na abertura desta mostra, em 8 de fevereiro de 2015, Reeves leu os diários das viagens de Gauguin ao Taiti, no final do século XIX.

Segundo a imprensa especializada, Reeves é representado pela companhia norte-americana Rogers & Cowan / PMK's. A agente do ator, segundo este artigo do USA Today, é Cheryl Maisel, que não respondeu ao contato da equipe de checagem da AFP até a publicação deste artigo.

Ao site norte-americano Politifact, em uma verificação sobre estas mesmas palavras, que haviam sido publicadas em 2017 em uma página no Facebook chamada “Keanu Reeves - the actor”, Maisel afirmou que o ator não tinha relação com esse perfil. “Keanu não participa de nenhuma maneira de redes sociais. [...] Esta página do Facebook é falsa”, disse na época.

A AFP não encontrou nenhum perfil oficial de Keanu Reeves nas redes sociais.

Outro site de verificação norte-americano, o Snopes, também desmentiu que estas palavras tenham sido difundidas pelo ator.

Em resumo, não há provas de que Keanu Reeves tenha dado declarações públicas semelhantes ao discurso viralizado. Além disso, o vínculo mais antigo destas palavras ao ator é um vídeo de 2015, onde um dublador russo distorce as palavras do intérprete.

Tradução e adaptação
AFP Brasil