Não, este vídeo não mostra um sargento atirando em um coronel na Venezuela

Um vídeo que supostamente mostra um sargento disparando em um coronel na Venezuela foi compartilhado mais de 2 mil vezes nas redes sociais desde que foi publicado, em 15 de abril de 2019. Mas, na realidade, tratam-se de dois soldados colombianos que, segundo o Exército deste país, estavam fazendo uma dramatização.

“Os militares estão se recusando a maltratar o povo morto de fome. E o regime de Maduro está quebrando de dentro para fora. Sargento atirou no coronel. Tropa da Guarda Bolivariana para se recusar a ir reprimir o povo [sic]: mas isso a Globo não mostra e o Governo Venezuelano faz de tudo para essas imagens não vazarem”, diz a postagem.

O vídeo, que também circula no Twitter e no YouTube, já viralizou em espanhol e em inglês. A diferença é que, nestes idiomas, afirma-se que um sargento venezuelano atira em um coronel cubano que os obrigava a reprimir o povo.

Apesar das descrições diferentes, o conteúdo do vídeo é o mesmo em todos os idiomas: dois militares se insultam durante vários segundos, até que um deles pega o fuzil e aponta para o rosto do outro. De repente, ouve-se uma detonação, e o indivíduo que está parado em frente ao fuzil cai.

A suposta discussão entre o sargento e o coronel venezuelanos está na Internet desde meados de abril deste ano, mas ganhou maior repercussão no final do mês, durante a tentativa de rebelião militar contra o governo de Nicolás Maduro. O frustrado levante foi liderado pelo opositor Juan Guaidó, reconhecido por mais de 50 países como presidente interino da Venezuela.

Os militares que aparecem no vídeo não são, porém, venezuelanos. “Este vídeo foi gravado em 18 de fevereiro de 2019 e faz parte de uma campanha chamada ‘Eu tenho controle’, promovida pela Direção de Preservação e Integridade (DIPSE) do Exército Nacional” da Colômbia, assegura um comunicado da força castrense enviado à AFP.

Segundo o boletim, datado de 6 de abril de 2019, “pessoas inescrupulosas, que buscam afetar o bom nome do Exército Nacional, manipularam o conteúdo do vídeo e o estão divulgando como se fosse um caso real”.

Captura de tela feita em 6 de maio de 2019 de um vídeo publicado no YouTube

Além disso, a presença de um automóvel cinza com placa amarela, cor das placas dos veículos particulares na Colômbia, permite à AFP estabelecer que as imagens foram gravadas neste país, e não na Venezuela, onde as placas dos carros particulares têm as cores amarelo, azul e vermelho sobre um fundo branco.

Homem empurra seu carro em direção a um posto de gasolina em Caracas em 8 de março de 2019 durante a pior queda de energia na história da Venezuela (Ronaldo Schemidt)

Em resumo, o vídeo que supostamente mostra um sargento venezuelano atirando em um coronel é falso. As imagens correspondem a um vídeo de prevenção produzido pelo Exército colombiano.