Este vídeo mostra a crise de 2014 na Ucrânia, não um protesto por medidas anticovid

Copyright © AFP 2017-2022. Todos os direitos reservados.

Um vídeo que mostra uma suposta tomada da sede do governo na Ucrânia foi visualizado mais de 3 mil vezes nas redes sociais desde 2 de dezembro de 2021. A gravação é acompanhada por alegações que a relacionam a um protesto contra a aplicação de vacinas contra a covid-19 e aos passaportes sanitários. No entanto, a manifestação ocorreu em 2014, durante uma crise política no país.

“A PRIMEIRA LINHA UCRANIANA CONTRA A NOVA ORDEM ESTA INVADINDO OS PALÁCIOS DO GOVERNO… OU O GOVERNO UCRANIANO BANE AS VACINAS ASSASSINAS DO COVID DA UCRÂNIA OU OS POLÍTICOS SERÃO TODOS MORTOS PELO POVO”, diz uma das publicações compartilhadas no Twitter (1, 2) e no Facebook (1, 2).

O vídeo, de 2 minutos e 17 segundos, mostra um enfrentamento entre policiais e civis dentro de um edifício. A maioria das pessoas é filmada de um andar mais alto. Mais adiante nas imagens, é possível ver um homem falando por um megafone para uma multidão de dentro do local e, logo depois, do lado de fora.

O conteúdo também circulou em espanhol (1, 2).

Captura de tela feita em 7 de janeiro de 2021 de uma publicação no Twitter ( . / )

Uma busca reversa no Google por fragmentos do vídeo, obtidos com a ferramenta InVid WeVerify, levou a uma gravação publicada em 25 de janeiro de 2014 no canal oficial do YouTube do portal de notícias russo RT.

O vídeo do RT, intitulado “Violent video: Ukraine rioters brutally beat police, storm local admin building” (Vídeo violento: manifestantes ucranianos batem brutalmente na polícia e tomam o edifício da administração local), tem 4 minutos e 32 segundos de duração. Em uma reportagem do veículo russo, as imagens são atribuídas à agência internacional de notícias Reuters.

A partir do minuto 2:00 é possível ver as mesmas cenas que aparecem no vídeo viralizado.

Na descrição da gravação lê-se: “No sábado, manifestantes na cidade de Vinnytsia [Ucrânia] ocuparam o edifício da prefeitura, rompendo um frágil cordão de tropas interiores”.

Buscas no site oficial da Reuters não levaram a resultados da sequência. Nos motores Yandex, TinEye e Google foi encontrada a gravação divulgada pela mídia russa, como nesta notícia publicada por um veículo espanhol em 26 de janeiro de 2014.

Comparação de capturas de tela do vídeo viral publicado no Twitter (E) e o vídeo do RT publicado em 25 de janeiro de 2014 ( . / )

As pesquisas resultaram, entretanto, em notícias de meios internacionais que incluem a foto (1, 2, 3) de um homem, vestido com um casaco marrom e gorro preto, que aparece no vídeo, e que também é atribuída à Reuters e aos fatos ocorridos em 25 de janeiro de 2014.

Comparação feita em 28 de dezembro de 2021 do vídeo viral publicado no Twitter (E) e um relatório da Radio Liberty de 25 de janeiro de 2014 ( . / )

Os registros no Google Maps do edifício da administração pública em Vinnytsia mostram as mesmas escadarias e os tapetes vistos no vídeo viral. A residência oficial do presidente ucraniano, o Palácio Mariinski, fica em Kiev, suas escadarias internas têm outra disposição e as colunas são adornadas com dourado.

Comparação feita em 27 de dezembro de 2021 entre o vídeo viral (E) e as imagens no Google Maps do prédio da prefeitura local em Vinnytsia, Ucrânia ( . / )

Outros vídeos (1, 2) em ucraniano mostram o mesmo ocorrido de 25 de janeiro de 2014 de outros ângulos.

Nesse ano, a Ucrânia atravessou várias situações de conflito que começaram com protestos nas ruas e ocupação de edifícios do governo, na época liderado por Viktor Yanukovich. Em março desse mesmo ano, manifestantes pró-russos também tomaram uma base aérea do Exército ucraniano na Crimeia. Em maio, outro grupo atacou a sede da procuradoria regional em Donetsk, no leste separatista da Ucrânia.

O presidente foi derrubado, e os distúrbios deixaram 4.700 mortos.

Medidas sanitárias pela covid-19

Na Ucrânia, a vacinação contra a covid-19 começou em 24 de fevereiro de 2021. Em novembro passado, passou-se a exigir um passaporte sanitário e em meados daquele mês o presidente prometeu uma remuneração de 1.000 grivnas (cerca de 42 dólares) para aqueles que se vacinassem.

Em novembro de 2021 também houve alguns protestos na capital do país contra as medidas sanitárias para conter a pandemia. No entanto, em nenhuma dessas manifestações houve ocupação da sede do governo, como indica o vídeo viral.

COVID-19 VACINAS