Manifestante palestino, em protesto no vilarejo de Kfar Qaddum na Cisjordânia ocupada, em 6 de junho de 2020 (AFP / Jaafar Ashtiyeh)

É enganosa a alegação de que o Google Maps removeu o nome Palestina da plataforma

Copyright © AFP 2017-2020. Todos os direitos reservados.

Publicações compartilhadas milhares de vezes no Facebook, Instagram e Twitter em julho deste ano alegam que a Palestina foi removida do Google Maps. Mas, isso é enganoso: no último dia 20 de julho, um representante do Google disse à AFP que a palavra Palestina nunca foi utilizada em seus mapas; uma especialista em cartografia também indicou que o nome “Palestina” não costuma ser empregado em mapas da mídia ocidental tradicional ou em ferramentas cartográficas ocidentais, sendo substituído, geralmente, pelos termos “Cisjordânia” ou “Gaza”.

“O Google Maps retirou a Palestina dos seus mapas. Se você pesquisa Palestina no buscador o país não é encontrado. Aparece, agora, Israel, em todo território. Não satisfeitos em tomar território, dia após dia, Israel tenta riscar e esconder a Palestina do mundo”, diz mensagem compartilhada mais de 2 mil vezes no Twitter desde o último dia 16 de julho.

Publicações semelhantes circularam amplamente no Facebook (1, 2, 3), Twitter (1, 2, 3) e Instagram na mesma data, somando mais de 13 mil compartilhamentos. 

Captura de tela feita em 22 de julho de publicação no Twitter

As mensagens viralizaram poucos dias após ser reportado que o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, pretendia iniciar os planos de anexar parte da Cisjordânia, território de maioria árabe-palestino que é parcialmente ocupado por Israel.

A alegação também foi amplamente compartilhada em inglês, espanhol e francês.

É enganoso, contudo, afirmar que o Google Maps removeu o nome Palestina de sua plataforma. 

Uma busca na ferramenta de visualizações de mapas do Google pelo nome “Palestina”, neste dia 24 de julho, leva a uma região entre os Estados de Israel e do Líbano.

A plataforma apresenta informações retiradas da Wikipedia, indicando que o “O Estado da Palestina é um Estado de jure que reivindica soberania sobre os territórios da Cisjordânia e da Faixa de Gaza e que designa Jerusalém Oriental como sua capital”. A palavra Palestina realmente não é marcada no mapa. 

Captura de tela feita em 24 de julho de 2020 de busca pelo nome “Palestina” no Google Maps

Questionado pela AFP, um porta-voz do Google disse, em e-mail enviado no último dia 20 de julho, que a empresa não fez alterações nas fronteiras ou territórios da região recentemente e que não utilizava anteriormente o termo Palestina no Google Maps.

O porta-voz também encaminhou à AFP duas reportagens de 2016: uma do site de tecnologia Engadget e outra do jornal francês Le Monde. Em ambas, um representante do Google afirma que o nome Palestina nunca foi utilizado em sua plataforma de mapas.

Christine Leuenberger, professora da Universidade Cornell, em Nova York, especializada na história e sociologia da cartografia em Israel e nos territórios palestinos, disse à AFP no último dia 21 de julho que “a palavra Palestina nunca estaria nesses mapas - no máximo os termos Cisjordânia e Gaza”.

“Nos mapas, o nome ‘Palestina’ é geralmente associado à Palestina histórica, antes do estabelecimento do Estado de Israel, e não é utilizado em meios de comunicação tradicionais no Ocidente”, disse Leuenberger.

“Normalmente, os territórios palestinos são indicados com o delineamento de uma linha de demarcação quebrada, o que indica um território disputado e os territórios (de Gaza e da Cisjordânia) permanecem sem nome. Alternativamente, os territórios são representados com essas linhas de demarcação quebradas e também são marcados como ‘Cisjordânia’ e ‘Gaza’”.

A equipe de checagem da AFP consultou versões anteriores do Google Maps arquivadas na ferramenta Wayback Machine e comprovou que não há registros de uma delimitação do território palestino na plataforma.

Em resumo, é enganoso afirmar que o Google removeu o nome Palestina de sua plataforma de mapas. Como explicou um representante da empresa à AFP, o termo nunca foi empregado no Google Maps.

 
AFP Australia
Tradução e adaptação
AFP Brasil