Vídeo de Ratinho criticando atos contra eleição de Bolsonaro em 2018 é vinculado a protestos de 2022

Copyright © AFP 2017-2023. Todos os direitos reservados.

O apresentador Carlos Roberto Massa, conhecido como Ratinho, não fez críticas aos manifestantes que estão protestando contra a vitória de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas eleições presidenciais de 2022. Ao contrário do que alegam as publicações que contêm um vídeo visualizado quase 20 mil vezes desde 1º de novembro, ele não se referia ao pleito deste ano, mas sim às eleições de 2018, quando Jair Bolsonaro, então filiado ao PSL, venceu Fernando Haddad (PT) no segundo turno.

“RATINHO DEIXA RECADOS AOS ELEITORES DE BOLSONARO Acompanhe a fala do apresentador, logo após o resultado das eleições presidenciais”, diz uma das publicações que circula no Facebook, no Kwai, no Instagram, no Twitter e no TikTok.

Junto às publicações, usuários compartilham um trecho do “Programa do Ratinho”, no qual o apresentador que dá nome à atração critica manifestações ocorridas no país após a divulgação do resultado eleitoral.

Captura de tela feita em 20 de dezembro de 2022 de uma publicação no Facebook ( .)

Contudo, o trecho viralizado foi exibido durante o “Programa do Ratinho” de 30 de outubro de 2018, logo após Jair Bolsonaro ter sido eleito presidente da República naquele ano.

Uma busca pelas palavras-chave “Ratinho”, “recado” e “manifestantes” levou ao mesmo trecho publicado por um canal no YouTube em 30 de outubro de 2018.

Uma segunda busca, dessa vez no site do “Programa do Ratinho”, pelos vídeos da atração, permitiu encontrar a sequência original.

Intitulado “Ratinho desabafa sobre as manifestações pós-eleições”, o trecho foi exibido nesse dia e mostra as críticas do apresentador a quem estava nas ruas protestando contra o resultado do segundo turno das presidenciais, ocorrido em 28 de outubro de 2018, das quais Bolsonaro saiu vencedor.

No site do programa também não aparece nenhum vídeo que mostre Ratinho se manifestando contra os atos que estão ocorrendo pelo país contra a eleição de Lula no segundo turno, em 30 de outubro de 2022, quando ele venceu Jair Bolsonaro com 50,9% dos votos válidos.

Eleições 2022