Cartaz viralizado com supostas proibições durante a Copa do Catar não é oficial

Copyright © AFP 2017-2022. Todos os direitos reservados.

Uma imagem com instruções de comportamento, em árabe e inglês, para os torcedores que forem à Copa do Mundo de Futebol do Catar circula nas redes sociais. A suposta arte gráfica foi compartilhada mais de 3 mil vezes desde 6 de outubro de 2022 com o título “bem-vindos ao Catar”. No entanto, o comitê organizador negou que a imagem tenha sido divulgada por um órgão oficial.

“Proibido ser feliz na copa do mundo”, diz uma das publicações no Facebook e Twitter junto ao cartaz com o título “bem-vindo ao Catar” em árabe e em inglês. O país do Golfo Pérsico sediará a Copa do Mundo de futebol entre 20 de novembro e 18 de dezembro de 2022.

O cartaz, em ambos idiomas, pede que os torcedores “mostrem seu respeito à religião e à cultura das pessoas do Catar evitando os seguintes comportamentos: consumo de álcool; homossexualidade; falta de pudor; insultos; falta de respeito a lugares de culto; música e sons altos; encontros românticos e tirar fotos de pessoas sem a permissão delas”.

Captura de tela realizada em 7 de outubro de 2022 de uma publicação no Twitter ( .)

As publicações circulam após os questionamentos em relação ao país anfitrião, Catar, pelas condições de trabalho dos imigrantes na construção dos estádios, assim como a situação dos direitos humanos para as mulheres e as pessoas da comunidade LGBTQIA + e as leis para os turistas em relação ao consumo de álcool.

Ao buscar em árabe pela frase “mostre seu respeito”, a equipe de verificação da AFP encontrou uma conta no Twitter com o mesmo nome e a seguinte descrição: “Contribui para a consolidação dos valores e princípios islâmicos que sustentam a identidade catari”.

O tuíte com o cartaz foi publicado em 1º de outubro de 2022.

No entanto, no último dia 6 de outubro, a conta oficial do Comitê de Organização e Legado da Copa do Mundo da FIFA do Catar-2022 desmentiu em um tuíte que o cartaz fosse oficial. A organização também indicou que “em breve emitirão um extenso guia para torcedores que contesta muitas das informações que circulam na peça citada”.

EMBED:

O comitê também fez um pedido aos participantes para que obtenham informações relacionadas com as viagens para o país apenas de fontes oficiais.

Direitos humanos e trabalhistas no Catar

A quase dois meses do início da Copa, em 12 de setembro de 2022, o Catar celebrou um fórum focado no “papel das instituições encarregadas de aplicar as leis de proteção dos Direitos Humanos durante o Mundial”.

Vários capitães das seleções classificadas para o evento anunciaram que durante o torneio irão usar faixas coloridas, emblema da comunidade LGBTQIA+ e um coração, como parte de uma campanha a favor da inclusão e contra a discriminação.

Por sua vez, o presidente da FIFA, Gianni Infantino, afirmou anteriormente que “todos serão bem-vindos”. “Recebemos as garantias necessárias, estamos capacitando funcionários, estamos trabalhando lado a lado com o governo e os funcionários policiais”.

A Confederação Sindical Internacional reconheceu, em 5 de outubro de 2022, os avanços alcançados nos direitos laborais dos trabalhadores na construção das arenas no Catar. Depois do comunicado de 2014, no qual classificou como “escravidão moderna”, a situação dos trabalhadores imigrantes, a secretária-geral, a australiana Sharan Burrow disse à AFP que se acordaram “bases chaves para a proteção dos direitos dos trabalhadores” no país.