Vídeo em que Neymar fala sobre voto foi cortado para sugerir que o jogador apoia Jair Bolsonaro

Copyright © AFP 2017-2022. Todos os direitos reservados.

Circula nas redes sociais desde 6 de maio de 2022 um vídeo em que o jogador de futebol Neymar Jr. supostamente declara apoio ao atual presidente da República, Jair Bolsonaro, nas eleições de outubro de 2022. Mas as publicações, que somam quase 4 mil compartilhamentos, são enganosas. A gravação é de 2014, quando o atleta declarou que votaria no candidato presidencial pelo PSDB, Aécio Neves, no segundo turno do pleito daquele ano.

“Artilheiro da seleção vai para copa do mundo e não fica em cima do muro. Neymar vota no mito vota 22. Vota em Bolsonaro. #BolsonaroReeleitoEm2022”, diz uma das publicações compartilhadas no Facebook (1, 2), Tik Tok e Twitter (1, 2).

Na sequência, Neymar aparece falando sobre a importância do voto e de se posicionar politicamente. Em seguida, são exibidas imagens de encontros do jogador com Bolsonaro.

Captura de tela feita em 13 de junho de 2022 de uma publicação no Facebook ( . / )

A fala de Neymar não era, no entanto, sobre o atual presidente.

Uma busca pelas palavras-chave “Neymar”, “apoio” e “voto” no canal do jogador no YouTube levou ao vídeo viralizado, com uma duração maior, no qual o atual craque do Paris Saint-Germain declara a sua escolha para o segundo turno das eleições presidenciais de 2014, quando optou pelo então candidato do PSDB, Aécio Neves. Na ocasião, o tucano perdeu para Dilma Rousseff (PT).

No vídeo publicado no YouTube por Neymar em 23 de outubro de 2014, o jogador aparece com a mesma roupa e com o mesmo penteado vistos na gravação compartilhada nas publicações atuais. No conteúdo viral, contudo, o trecho em que ele declara nominalmente o seu voto em Aécio Neves foi omitido.

No início do vídeo, Neymar faz uma pequena declaração sobre a importância do voto: “Não podemos ter medo de nos posicionar. É um direito nosso e democrático de escolher um candidato. Dia 26, teremos duas opções, dois candidatos, simples assim. Votos nulos e em branco não irão mudar o nosso país. A escolha do seu candidato não pode ser uma batalha campal e eu entendo também que não é uma luta entre o bem e o mal”.

Com um minuto de gravação, Neymar afirma: “Eu vou apoiar o candidato Aécio Neves porque me identifico muito com a proposta que ele tem para o Brasil, mas tenho a certeza que seja qual for o resultado de domingo, continuarei à disposição do meu país e do presidente eleito pelo povo”.

Usando o CrowdTangle, ferramenta de monitoramento de redes sociais, o Checamos fez uma segunda busca, dessa vez pelas palavras-chave “Bolsonaro”, “Jair Bolsonaro” e “presidente”, e restringindo o período para os últimos quatro anos, na página do jogador no Facebook e em seu perfil no Instagram. A pesquisa não encontrou nenhuma manifestação de apoio ao atual presidente da República.

Uma pesquisa no Google pelas palavras-chave “Neymar”, “apoio” e “eleição” levou a um vídeo publicado no canal da AFP Português no YouTube em que Neymar comentava sobre a eleição de Jair Bolsonaro em 2018. Em nenhum momento o jogador diz ter apoiado o então candidato do PSL.

Ao final do vídeo viral foram inseridas imagens de quando Bolsonaro encontrou Neymar em jogos da Seleção Brasileira durante a Copa América de 2019, disputada no país.

O próprio presidente mantém as publicações junto a Neymar em suas redes sociais (1, 2). Em uma das fotos inseridas no vídeo, o jogador usa a mesma roupa de quando encontrou Bolsonaro e, juntos, assistiram ao jogo entre Brasil e Peru no Maracanã, em 7 de julho de 2019.

Outra interação entre Bolsonaro e Neymar ocorreu em abril de 2019, quando o presidente brasileiro gravou um vídeo ao lado do então primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, convidando o jogador e o surfista Gabriel Medina para visitar Israel. Em resposta, os dois atletas enviaram vídeos agradecendo o convite.

Procurada pelo Checamos, a assessoria de imprensa de Neymar esclareceu que o vídeo utilizado nas publicações era “fake”.

Conteúdo semelhante foi checado pelo Estadão Verifica, Aos Fatos e pela Agência Lupa.

Eleições 2022