Uma placa de boas-vindas é vista do lado de fora da escola primária Robb em Uvalde, Texas, em 24 de maio de 2022 ( AFP / allison dinner)

Fotos de uma mulher transgênero são falsamente associadas ao atirador em Uvalde, Texas

Copyright © AFP 2017-2022. Todos os direitos reservados.

Fotos de uma pessoa segurando a bandeira do orgulho transgênero e vestindo saias foram compartilhadas em redes sociais desde 25 de maio de 2022, somando milhares de interações. Segundo as publicações, as imagens retratariam o autor do massacre ocorrido no último dia 24 na cidade texana de Uvalde. Mas isso é falso. As fotos são de uma artista transgênero que as compartilhou no Reddit e que não tem ligação com o que ocorreu no Texas.

“Esquerdistas, feministas, lacradores de plantão, pessoal LGBTQUYGPXD, se manisfestem! Foto do atirador que matou 19 crianças em Uvalde, no Texas, ontem. Repassem e joguem isso na cara de qualquer individuo que culpar as armas pelo massacre”, diz uma das publicações que circulam no Facebook (1, 2), Instagram e Twitter.

Captura de tela de uma publicação no Facebook feita em 26 de maio de 2022 ( . / )

Conteúdos similares também circulam em inglês e espanhol.

A afirmação apareceu pela primeira vez na plataforma de mensagens anônimas 4chan, onde vários usuários publicaram a imagem de uma pessoa com a bandeira do orgulho trans.

O congressista norte-americano Paul Gosar amplificou essa narrativa em um tuíte, já apagado, no qual assegurou que o atirador era um “estrangeiro ilegal transexual esquerdista”. Outras publicações em inglês afirmaram falsamente que Ramos era um imigrante sem documentos, embora autoridades do Texas já tivessem afirmado que ele era um cidadão norte-americano.

As imagens também foram exibidas em um noticiário na Espanha: elas foram falsamente associadas ao autor dos assassinatos, como se observa no minuto 11:57 desta transmissão.

Em 24 de maio de 2022, Ramos se dirigiu à escola primária Robb, na pequena localidade de Uvalde, Texas, e assassinou 19 pessoas, incluindo crianças e professores. O adolescente de 18 anos, que havia anunciado seus planos na manhã do dia 24 de maio no Facebook, se escondeu em uma das salas por mais de 30 minutos até que foi morto por um agente da patrulha fronteiriça.

No entanto, as fotografias difundidas nas redes sociais não retratam o autor do massacre.

Uma busca reversa mostrou que a foto com a bandeira do orgulho trans foi publicada na rede social Reddit no começo de abril deste ano.

“Pensei em provocar os transfóbicos” diz a mensagem compartilhada junto à imagem da usuária Apprehensive_Ad_995.

Em 29 de abril de 2022, a usuária publicou uma foto com as mesmas camisa preta e saia vermelha vistas em outra imagem que também circula nas redes sociais vinculada ao autor do ataque. “Consegui uma nova saia e acredito que seja a minha favorita”, diz o texto compartilhado com a imagem.

Apprehensive_Ad_995, que se identifica como uma artista transgênero, desmentiu a afirmação que circula nas redes sociais de que ela e Ramos são a mesma pessoa.

“Não sou eu, eu sequer vivo no Texas”, disse a usuária em 24 de maio de 2022 em uma publicação no Reddit.

“As pessoas estão me ameaçando e assediando sem razão. Estão ativamente tratando de arruinar minha vida em vez de ajudar as famílias afetadas”, escreveu a usuária em um tópico no mesmo dia.

No último dia 25 de maio, Apprehensive_Ad_995 divulgou uma imagem segurando uma folha de papel com a data como prova. A AFP tentou contatá-la, mas não obteve retorno até a publicação desta checagem.

Capturas de tela feitas em 26 de maio de 2022 de duas publicações no Reddit

A cadeia de notícias norte-americana NBC entrevistou a mulher transgênero cujas fotos estão sendo vinculadas, erroneamente, à chacina.

“Não é a primeira vez que sou assediada, mas essa é a primeira vez que me acusam de homicídio”, disse a mulher de 20 anos, que pediu para ser identificada por seu primeiro nome, Sam, para ter sua privacidade preservada.

Atirador

Outras imagens compartilhadas nas redes sociais mostram, de fato, Ramos, que atacou sua avó antes de perpetrar o massacre na escola primária. Uma delas retrata o adolescente em frente a um espelho e foi publicada originalmente no Instagram, mas foi removida da plataforma.

Outra imagem do rosto do jovem, vítima de “bullying” por sua gagueira, foi divulgada por autoridades locais.