Fogos de artifício explodem acima do Castelo da Bela Adormecida durante o 50º aniversário de abertura da Disneylândia em Anaheim, Califórnia, em 17 de julho de 2005 ( AFP / Hector Mata)

CEO da Disney não foi preso por tráfico de pessoas; site que publicou a história é satírico

Copyright © AFP 2017-2022. Todos os direitos reservados.

Usuários nas redes sociais dizem que o diretor-executivo da Disney, Bob Chapek, foi preso por tráfico de seres humanos após uma operação que capturou quatro funcionários da empresa que comanda, segundo um artigo que acompanha as publicações. Mas o conteúdo, compartilhado dezenas de vezes desde, pelo menos, 17 de março de 2022, é falso. O site que deu origem à suposta notícia marcou o artigo como uma sátira. Além disso, a polícia de Los Angeles, onde Chapek mora, afirmou que ele não foi preso, e uma lista oficial de 108 suspeitos detidos na Flórida por uma operação de tráfico de pessoas não contém seu nome, que tampouco foi mencionado na investigação.

“O CEO da Disney foi preso por TRÁFICO HUMANO”, diz uma das publicações compartilhadas no Facebook, no Twitter e no Telegram. Diversas postagens também são acompanhadas pela captura de tela de um artigo em inglês do site Vancouver Times, que afirma que Chapek foi preso por tráfico de pessoas e por posse de pornografia infantil. 

Conteúdo semelhante também circulou em inglês, alemão, francês, italiano, tcheco e espanhol.

Captura de tela feita em 30 de março de 2022 de uma publicação no Facebook ( . / )

O artigo do Vancouver Times afirma que Chapek foi preso no sul da Califórnia, nos Estados Unidos. A AFP entrou em contato com o Escritório de Informação do Departamento do Xerife do condado de Los Angeles, que confirmou que “a delegacia do xerife de Malibu / Lost Hills não prendeu o Sr. Chapek”.

O grupo de trabalho regional contra o tráfico de pessoas do Departamento do Xerife também disse que “não estava ciente de nenhuma prisão relacionada ao diretor-executivo da Disney, Bob Chapek”

Ao buscar por “Bob Chapek” ou “Robert Chapek” no centro de informação de reclusos do Departamento do Xerife do condado de Los Angeles, não se obteve resultados.

Uma pesquisa no arquivo do Vancouver Times revelou que a história inicialmente carecia de qualquer menção a sua natureza satírica, mas depois foi agregada uma marca de “sátira” na página.

Captura de tela de um artigo no site Vancouver Times feita em 30 de março de 2022 ( . / )

Em seu site, o Vancouver Times se descreve como “a fonte mais confiável de sátira na Costa Oeste”. E assinalam: “Escrevemos histórias satíricas sobre temas que afetam os conservadores”

O conteúdo foi compartilhado após a polícia do condado de Polk, na Flórida, prender 108 pessoas por uma “operação secreta de tráfico de pessoas”.

A maioria das prisões estiveram relacionadas a prostituição e oferecimento de sexo por dinheiro, que são ilegais na Flórida. Quatro dessas prisões foram por comportamento predatório em relação a menores.

O xerife do condado de Polk, Grady Judd, disse em uma coletiva de imprensa em 16 de março de 2022 que quatro funcionários da Disney estavam entre os detidos. 

Segundo Judd, três funcionários, que trabalhavam na indústria de restaurantes, desenvolvimento de software e tecnologia da informação para a Disney, foram presos por oferecer relações sexuais em troca de dinheiro, enquanto uma quarta pessoa teve três acusações relacionadas à posse de material nocivo. 

“Era um salva-vidas no Resort Polinésio da Disney e se gabava disso”, disse o xerife sobre esse último caso.

A AFP recebeu a lista completa de suspeitos detidos na operação e confirmou que não contém o nome de Chapek. Também consultou a The Walt Disney Company sobre as publicações que vinculam Chapek às prisões, mas não obteve resposta até o momento da publicação deste artigo.

Tradução e adaptação