Vídeo que mostra urna completando automaticamente número de Haddad é enganoso, segundo TRE, TSE e peritos

Copyright © AFP 2017-2021. Todos os direitos reservados.

Um vídeo difundido nas redes sociais no último 7 de outubro, dia das eleições presidenciais no Brasil, alega mostrar uma urna eletrônica que auto-completa o número do candidato à presidência Fernando Haddad, do Partido dos Trabalhadores (PT). Segundo as autoridades, trata-se de uma montagem, mas um especialista forense também emitiu a hipótese de que trata-se de uma urna com falhas no teclado.

“Está acontecendo diante de nossos olhos. Aperta a tecla “1” para presidente e aparece o indicado do presidiário!”, disse Flávio Bolsonaro (PSL), filho do presidenciável Jair Bolsonaro, no Twitter, em referência a Haddad, candidato indicado pelo ex-presidente encarcerado Luiz Inácio Lula da Silva.

“Quem souber onde aconteceu isso, favor me enviar zona e seção”, agregou o também candidato ao Senado.

Horas depois, Flávio apagou a postagem, alegando que “Mesmo que a explicação sobre a veracidade do vídeo não tenha sido clara”, seu objetivo de alertar o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) foi logrado.

Captura de tela do vídeo disseminando informação falsa, feita 7 de outubro de 2018

Segundo uma análise das imagens, o vídeo teria sido realizado na 404ª Zona Eleitoral de São Paulo, na região de Cidade Tiradentes, zona leste. Contatado pela AFP, Cássio Valério, chefe daquele cartório eleitoral, disse que até as 14:35 não houve problemas técnicos nas urnas e que nenhuma ocorrência fora da normalidade foi registrada. Valério disse estar ciente do vídeo, que qualifica como uma montagem.

A Coordenadoria de Comunicação Social do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais, TRE-MG, publicou um vídeo feito por um técnico de edição que alega explicar a manipulação das imagens. O material afirma que as imagens são “uma fake news”.

Pela manhã do último dia 7 de outubro, Rosa Weber, presidente do TSE afirmou que a Polícia Federal e o Ministério Público Federal foram acionados para investigar o caso.

O TRE do Mato Grosso em uma nota oficial declarou que "são falsos os vídeos que circulam na internet, no qual uma urna supostamente completa, por sua conta, o voto para presidente."

No Twitter, o TSE também afirmou que “vídeos e mensagens em redes sociais e app de bate-papo sobre processamento dos votos na urna antes da tecla confirma são falsos”.

Consultado pelo Comprova, projeto de verificação colaborativa entre meios de comunicação do qual a AFP no Brasil faz parte, o perito forense Mauricio Raimundo de Cunto confirmou que, segundo as imagens, trata-se de uma urna modelo 2008 da 404ª Zona Eleitoral de São Paulo.

Além disso, concluiu: “Não há muitos elementos que garantam a ocorrência de algum tipo de edição, mas não há também como afirmar veementemente que os vídeos são falsos. Após análise profunda, não foram encontrados artefatos que representem marcas de edição, podendo ser considerados íntegros. (...) Perante o conhecimento deste Perito, os vídeos não garantem a ocorrência de fraude da urna ou algo semelhante, mas ilustra uma aparente falha no sistema de entrada de dados via teclado. Há de se periciar esta urna específica e produzir os devidos ensaios técnicos para detectar e corrigir a suposta falha”.

Segundo as informações divulgadas pelo TRE e pelo TSE, o vídeo é uma montagem. De acordo com a análise forense, a afirmação de que o vídeo é uma prova de manipulação do resultado eleitoral é enganosa e a possibilidade mais plausível é que o vídeo mostre apenas uma urna que teve um defeito no teclado.

AFP Brasil