A réplica da Estátua da Liberdade é uma fotomontagem feita por um artista sírio

Copyright © AFP 2017-2022. Todos os direitos reservados.

A imagem de uma réplica da Estátua da Liberdade de Nova York voltou a ser compartilhada mais de 12,7 mil vezes nas redes sociais desde meados de outubro de 2021, após circular em maio deste ano. De acordo com os usuários, ela foi construída por um artista sírio em Aleppo “com os restos de sua casa”. Mas essa escultura não existe: trata-se de uma fotomontagem feita por Tammam Azzam.

“Um artista sírio em Aleppo construiu esta réplica da Estátua da Liberdade com os restos de sua casa, acrescentando o lema ‘Esta é a liberdade que os EUA nos trouxeram’”, diz a legenda de publicações compartilhadas no Facebook (1, 2, 3) e no Twitter (1, 2) em outubro de 2021.

Mas, antes disso, esse mesmo conteúdo e alegação já haviam circulado nas redes em maio de 2021 (1, 2) e em anos anteriores, como em 2016 e 2017.

A imagem, que ganhou conotação política ao viralizar nas redes, também foi amplamente difundida em publicações em outros idiomas, como inglês, francês e espanhol (1).

Captura de tela feita em 27 de outubro de 2021 de uma publicação no Facebook

Contudo, essa estátua não existe, já que se trata de uma fotomontagem. Uma busca reversa da imagem feita pela equipe de checagem da AFP levou a um texto do meio de comunicação Al Arabiya News, de Dubai, que explica a história por trás da escultura que, na verdade, é uma obra digital.

A fotomontagem foi feita em 2012 pelo artista sírio Tammam Azzam, como foi confirmado por ele à AFP: “Faz parte de uma série de fotomontagens que fiz em Dubai em 2012”

“A minha fotografia está sendo usada fora do contexto que eu havia dado. A intenção era enfatizar a importância da liberdade, pelos sírios que perderam suas vidas e seus lares pela liberdade”, detalhou o artista.

Tammam Azzam publicou o trabalho em questão em seu perfil no Facebook em 8 de setembro de 2012, acompanhado da legenda “Estátua da Liberdade”, escrita em inglês.

Em 24 de outubro de 2016, o artista atualizou a publicação após internautas divulgarem o seu trabalho fora de contexto e sem a legenda original, a fim de especificar que se tratava de uma fotomontagem.

Captura de tela feita em 8 de junho de 2021 no perfil de Tammam Azzam

“Enviei diversas mensagens privadas para contas que usaram minha imagem com legendas totalmente novas, mas não responderam a mim e nem mesmo atualizaram suas postagens”, afirmou o artista à AFP.

A guerra na Síria, que começou em 2011 com a repressão de Damasco aos protestos pró-democracia, matou quase meio milhão de pessoas, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH), e fez com que milhões fossem exilados.

A intensidade dos combates diminuiu em 2020, principalmente devido a um cessar-fogo no noroeste do país que beneficiou Idlib, o último grande reduto extremista e rebelde, além da pandemia de coronavírus contra a qual os esforços têm sido concentrados.

No final de maio de 2021, Bashar al-Assad foi reeleito presidente da Síria para um quarto mandato, em uma votação realizada em áreas controladas pelo governo.

EDIT 27/10/2021: Atualiza com novos exemplos de publicações
Tradução e adaptação