Não, Suzane von Richthofen não foi recebida por ativistas ao sair da prisão

Uma publicação compartilhada mais de 1.400 vezes no Facebook desde o final de abril afirma que Suzane von Richthofen, condenada em 2006 a 39 anos de prisão pela morte dos pais, teria sido recepcionada por ativistas de direitos humanos ao sair da cadeia. Entretanto, a postagem é baseada em uma sátira publicada em um site de humor.

“Matou o pai e mãe e agora é considerada uma heroína pela esquerda. Talvez seja candidata PT nas próximas eleições. Ao ganhar às ruas em seu primeiro dia no semi-aberto, Suzane foi agraciada com uma calorosa recepção, promovida por ativistas dos ‘direitos humanos’”, diz uma publicação do dia 25 de abril de 2019.

O texto acompanha uma chamada para o artigo “Suzane Richtofen é recepcionada por ativistas dos direitos humanos ao sair da prisão”, do site Joselito Müller. Entretanto, o próprio site se descreve como uma página de sátiras, destacando que seu conteúdo não é verdadeiro.

“Joselito Müller é um personagem fictício que retrata as notícias do cotidiano. Joselito Muller é um personagem fictício que faz paródia de figuras públicas em situações cômicas. Nada é neste site é verdade, mas poderia ser”, diz no final do artigo satírico e também na descrição de sua página no Facebook.

Além disso, a foto utilizada para ilustrar a publicação, na qual Suzane supostamente aparece ao lado da deputada do Partido dos Trabalhadores Maria do Rosário, é uma montagem. A imagem original de Suzane foi retirada de uma entrevista concedida por ela em 2015 ao “Programa do Gugu”, de dentro da prisão.

Comparando as imagens lado a lado, é possível perceber que a fotografia foi espelhada, mas que Suzane está com o mesmo estilo de cabelo, brincos e expressão facial tanto na entrevista, quanto na imagem viralizada.

Uma combinação feita em 8 de maio de 2019 mostra imagem viralizada e foto de Suzane em entrevista concedida ao “Programa do Gugu”

Além disso, pode-se perceber outros indícios de manipulação na imagem viralizada, como a diferença na iluminação e nas cores das duas mulheres, assim como o logo de Joselito Müller sobre um dos dois microfones.

A deputada Maria do Rosário - quem aparece junto com Suzane na foto viralizada - também desmentiu a alegação em seu site. “Neste caso, é possível perceber claramente que a foto é montagem e que a deputada nunca esteve ao lado de Suzane Richtoffen [sic] e muito menos a apoiou ou esteve em fotos com ela”, diz o texto.

Coincidentemente, Suzane realmente deixou a prisão, mas no dia 8 de maio de 2019, em uma saída temporária por ocasião do Dia das Mães. 

Têm direito a saídas temporárias os presos que cumprem pena em regime semiaberto, com comportamento adequado e cumprimento mínimo de 1/6 da pena, se o condenado for primário. Nessas condições, a saída pode ser concedida cinco vezes ao ano, em datas pré-determinadas pelo Juízo das Execuções.  

Em 2006, Suzane foi condenada a 39 anos de prisão pela morte dos pais, Manfred e Marísia von Richthofen. O casal foi assassinado em 2002 enquanto dormia em sua mansão no Brooklin, Zona Sul de São Paulo, com golpes de barras de ferro na cabeça. Em 2015, Suzane obteve a progressão do regime fechado para o semiaberto.

Em resumo, a publicação viralizada é baseada em um artigo de humor e em uma foto alterada digitalmente, e Suzane von Richthofen não foi recebida por ativistas ao deixar a prisão.

AFP Brasil