Não, essa passageira não foi retirada do avião após se indignar com os partidários de Bolsonaro

Dois vídeos viralizados nas redes sociais desde que foram postados, em 27 de abril de 2019, afirmam que a mulher que aparece nas imagens é petista e ficou indignada com passageiros que cantavam uma música a favor do atual presidente, Jair Bolsonaro. Entretanto, este vídeo, que é de 2018, mostra uma passageira sendo retirada após se recusar a despachar sua bagagem de mão, que havia excedido os limites.

Estes dois vídeos postados no Facebook que, em pouco mais de uma semana, somam mais de 2.900 compartilhamentos e mais de 156 mil visualizações, contêm a seguinte descrição: “Passageira do PT indignada porque passageiros estavam cantando música do Bolsonaro. Chama a comissária e pede que ela proíba esse tipo de manifestação. A comissária se nega a atender, elas batem boca e a passageira dá um tapa na comissária. Comandante não decola e chama a polícia”.

Captura de tela de uma publicação no Facebook, feita em 8 de maio de 2019

A equipe de checagem da AFP no Brasil encontrou a gravação em seu contexto original, que data de 5 de outubro de 2018.

O caso aconteceu em Goiânia e o avião tinha o aeroporto de Congonhas, em São Paulo, como destino. De acordo com as notícias (1, 2, 3 e 4) sobre o fato, a mulher se negou a despachar sua bagagem de mão, que teria ultrapassado o limite, desrespeitou a tripulação e causou tumulto dentro da aeronave.

Em resumo, na realidade, o vídeo não mostra uma mulher sendo retirada da aeronave após se indignar com os outros passageiros cantando músicas a favor de Bolsonaro, mas sim uma passageira cuja bagagem de mão não respeitou os padrões de peso e tamanho vigentes, que causou tumulto e, por isso, teve que deixar o avião à força.

AFP Brasil