É enganoso afirmar em 2019 que Sergio Moro “acabou” de ser escolhido o 13º maior líder pela revista Fortune

Uma publicação compartilhada 33 mil vezes desde que foi postada, no início de abril de 2019, alega que o agora ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, havia “acabado” de ser escolhido com o 13º maior líder pela revista Fortune. No entanto, apesar de realmente ter sido selecionado, isto aconteceu em 2016, quando ainda era juiz federal, não neste ano.

“Sergio Moro acaba de ser escolhido o décimo-terceiro maior líder do mundo pela americana Fortune! O ranking é composto por apenas 50 nomes, dentre eles, Papa Francisco e Angela Merkel. Moro foi comparado a Elliot Ness, que derrubou o império do mafioso Al Capone nos anos 50. Um tapa de luvas naqueles que tentam ainda denegrir a imagem de nosso juiz. Todo o nosso apoio e gratidão a Sérgio Moro. Quero 1 milhão de compartilhamentos, meus amigos”, diz a postagem, de 11 de abril de 2019.

A equipe de checagem da AFP no Brasil verificou a lista da revista americana de negócios Fortune dos Maiores Líderes do Mundo (World’s Greatest Leaders) deste ano e Sergio Moro não consta nela. Em 13º lugar, que foi atribuído a Moro na postagem, está Marilyn Bartlett, que é administradora da Divisão de Cuidados de Saúde e Benefícios do estado de Montana, nos Estados Unidos.

Na realidade, Sergio Moro realmente fez parte dessa lista, mas na edição de 2016 do ranking, efetivamente em 13º lugar, junto a nomes como Jeff Bezos, Angela Merkel, Papa Francisco, Tim Cook, entre outros.

Captura de tela feita em 9 de maio de 2019 mostra o site da revista Fortune na seção do ranking dos Maiores Líderes do Mundo de 2016, no qual aparece Sergio Moro.

De acordo com a descrição da revista, a cada ano são escolhidos 50 nomes dos “negócios, no governo, na filantropia e nas artes, e em todo o mundo” que transformam o mundo e inspiram outras pessoas a fazerem o mesmo.

Segundo o perfil de Moro na Fortune, o juiz federal era o “principal protagonista da versão real de ‘Os Intocáveis’ ​​no Brasil”, em referência ao filme americano que contou a história da máfia de Al Capone nos Estados Unidos e cujo policial Eliot Ness foi fundamental em sua condenação.

Sergio Moro realmente foi comparado com Eliot Ness pelo jornal francês “Le Monde” em dezembro de 2015. Além disso, o à época juiz federal retomou essa comparação durante uma entrevista ao programa americano “60 minutes”, da rede CBS, em 2017.

Em resumo, Sergio Moro fez parte da lista dos maiores líderes do mundo da revista Fortune, mas isso foi em 2016, não em 2019, como foi levado a entender pela postagem, que citava o fato de ele ter “acabado” de ser escolhido.

AFP Brasil