Não, retomada de obras em trecho da BR-163/PA não ocorreu no governo Bolsonaro

Uma montagem com fotos mostrando uma parte da BR-163/PA atribui a retomada das obras de pavimentação de um trecho da rodovia ao governo de Jair Bolsonaro. Entretanto, as obras foram retomadas em 2017, período em que Michel Temer ainda comandava a Presidência da República.

A combinação de fotografias que supostamente mostra uma parte da BR-163, no estado do Pará, foi compartilhada milhares de vezes em diferentes publicações (1, 2, 3) nas redes sociais desde 12 de fevereiro de 2019.

A montagem mostra quatro fotografias: as duas superiores com a legenda “BR 163 PARÁ - ANTES”, e as duas inferiores indicando “BR 163 PARÁ - AGORA”. A combinação de imagens é acompanhada do seguinte texto: “Se você não divulgar o que o Exército está fazendo, a grande mídia não divulgará por você”.

Captura de tela feita em 26 de fevereiro de 2019 mostra uma montagem compartilhada no Facebook que supostamente mostra o avanço das obras na rodovia BR-163, em seu trecho no Pará
 

Contudo, segundo verificação da equipe de checagem da AFP no Brasil, as fotos não se referem aos momentos alegados na montagem.

Com 4.426 quilômetros de extensão, a BR-163, que começou a ser construída em 1971, durante a ditadura militar (1964-1985), é considerada a “principal via de escoamento da produção de grãos da região Centro-Oeste para o Arco Norte”, segundo informação do site do Exército, e corta o país na direção Norte-Sul, saindo do Rio Grande do Sul e chegando ao norte do Pará.

Em agosto de 2017, sob a Presidência de Michel Temer, do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), foi assinado um termo que transferia para o Exército brasileiro a função de pavimentar os 65 quilômetros que faltavam da BR-163 entre as localidades de Novo Progresso e o distrito de Moraes de Almeida, na cidade de Itatiuba, no Pará.

A primeira imagem da montagem foi publicada originalmente nesta matéria do dia 15 de fevereiro de 2018 no site G1. A foto “foi tirada por um caminhoneiro no dia 12 de janeiro de 2018 em um trecho crítico da estrada, entre o município de Rurópolis e o distrito de Miritituba, no sudoeste do Pará”, confirmou à AFP o jornalista Adonias Silva autor da matéria.

A segunda foto, enviada por WhatsApp por um usuário para o jornal Folha do Progresso, mostra a situação da estrada após fortes chuvas em 1º de dezembro de 2017, o que deixou a rodovia intransitável para os caminhões e depois da retomada das obras de pavimentação.

A terceira fotografia, que supostamente seria a atual, na verdade foi tirada pelo Exército brasileiro em 15 de dezembro de 2008, já nas obras de asfaltamento da rodovia em questão.

A quarta e última imagem pôde ser encontrada em uma publicação num blog de um programa da Universidade Federal do Paraná matéria com data de dezembro 2016, antes que as obras fossem retomadas por Temer e das chuvas que deixaram os caminhoneiros em uma situação complicada.

Mapa elaborado pela AFP mostra o trecho das obras de pavimentação na BR-163 e o local onde caminhões ficaram atolados
 

No dia 25 de fevereiro 2019, o Exército brasileiro já havia desmentido fotografias similares em sua conta no Twitter, dizendo que “são imagens de obras diversas, como na SC-438 e no aeroporto do RN. Nenhuma das imagens é da BR-163”.

Apesar das fotos não serem falsas e da obra na rodovia estar em curso, as datas não correspondem aos momentos de “antes” e “agora” dos trabalhos de pavimentação. Além disso, a pavimentação na BR-163 tampouco foi reiniciada no governo de Jair Bolsonaro, do Partido Social Liberal (PSL), que tomou posse em 1º de janeiro de 2019, como algumas publicações sugerem.

AFP Brasil