Não, o PT não entrou com ação para derrubar 13º para o Bolsa Família

Postagens viralizadas nas redes sociais afirmam que o Partido dos Trabalhadores entrou com uma ação para derrubar a decisão do governo de Jair Bolsonaro (PSL) que dá acesso a um 13º aos que fazem parte do programa Bolsa Família. Contudo, a alegação é falsa e o partido não entrou com ação alguma. Além disso, a foto postada junto a essa informação foi manipulada digitalmente.

Estas duas publicações compartilhadas mais de 12 mil vezes desde que foram postadas no Facebook, em 11 de abril de 2019, têm como legenda: “Canalhas!” e “Olha aí petralhas ‘indiotas’. Acho ótimo isso vocês que idolatram esses bandidos!”. Segundo o texto colocado junto com a fotografia, o PT teria entrado com a ação para derrubar a decisão que permitiria ao “pobre” ter acesso a este 13º como um benefício.

A equipe de checagem da AFP no Brasil verificou a afirmação e constatou que, na realidade, o partido não entrou com nenhuma ação neste sentido. Uma nota publicada no site do PT diz: “O Partido dos Trabalhadores não entrou com nenhuma ação para derrubar o decreto que cria o décimo terceiro do Bolsa Família, programa que virou lei há 15 anos, sob governo do ex-presidente Lula. As mensagens que circulam nas redes sociais (...) são mentirosas e frutos de mais uma invenção da direita, que deseja deslegitimar a qualquer custo o PT, sua atuação e legado. A foto divulgada junto com a notícia falsa é manipulada”.

Em 11 de abril, o presidente Jair Bolsonaro confirmou a projeto de conceder um 13º pagamento para os beneficiários do Bolsa Família, que estava entre seus compromissos de campanha. O valor referente a essa parcela, quando assinada, será pago em dezembro. De acordo com o Ministério da Cidadania, haverá um acréscimo de R$ 2,58 bilhões em seu orçamento.

O Bolsa Família foi criado em janeiro de 2004 por decreto, durante o primeiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2010), do PT. Ele se construiu sobre a base de uma unificação de programas de transferência de renda como Bolsa Escola, Programa Nacional de Acesso à Alimentação (PNAA), Bolsa Alimentação, Programa Auxílio-Gás e Cadastramento Único do Governo Federal.

Captura de tela feita em 16 de abril de 2019 mostra um tuíte de 2017 postado pelo deputado federal Chico D'Ângelo, do PDT, que contém a foto modificada digitalmente
 

- Fotografia manipulada -

Além da afirmação viralizada não ser verdadeira, a foto que a acompanha foi modificada digitalmente. O papel amarelo com a frase: “Digo não ao décimo terceiro salário do Bolsa Família”, na realidade continha os dizeres: “Voto pelos 8 entre 10 brasileiro(a)s que exigem a investigação!”, como é possível constatar neste tuíte de Chico D’Ângelo, do Partido Democrático Trabalhista (PDT).

A fotografia foi tirada em 2 de agosto de 2017 durante a votação na Câmara dos Deputados do relatório da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) a respeito de uma denúncia por crime de corrupção passiva contra o então presidente Michel Temer (2016-2018), do Movimento Democrático Brasileiro (MDB).

Apesar de não terem entrado com uma ação, membros do PT, como e deputada federal pelo Paraná Gleisi Hoffmann e o candidato pelo PT à Presidência em 2018 Fernando Haddad criticaram a decisão do governo Bolsonaro.

Em resumo, mesmo que importantes figuras do partido discordem da decisão tomada pela administração de Jair Bolsonaro, o PT não entrou com uma ação para derrubar a decisão de acesso ao 13º salário do Bolsa Família, e a foto que compõe a publicação viralizada foi alterada digitalmente.

AFP Brasil