Captura de tela de uma publicação no Facebook disseminando um vídeo com uma alegação falsa, 20 de agosto de 2018. (Facebook / AFP)

Não, não era um venezuelano falando na marcha de Lula; era o Nobel da Paz Pérez Esquivel

Copyright AFP 2017-2020. All rights reserved.

Um vídeo publicado esta semana mostra parte da marcha organizada para pedir a liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, junto com a mensagem: “São todos venezuelanos estes malditos”. As imagens foram vistas centenas de milhares de vezes, no entanto o protagonista é o Nobel da Paz Adolfo Pérez Esquivel, de nacionalidades argentina e espanhola. 

11 de agosto foi o primeiro de quatro dias da marcha, organizada por grupos da sociedad civil, o Movimento dos Trabalhadores sem Terra (MST) e pelo Partido dos Trabalhadores (PT), até Brasília para apoiar a candidatura de Lula e pedir sua liberação. O líder petista cumpre pena de 12 anos e 1 mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Membros do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) participam da Marcha Lula Livre perto de Brasilia, 14 de agosto de 2018 (AFP / Evaristo Sa)

As marchas culminaram no último 15 de agosto, antes da inscrição da candidatura de Lula para as eleições presidenciais de outubro, nas quais é favorito, de acordo com as pesquisas de intenção de voto.

Dois dias antes, o PT publicou em seu portal na internet um vídeo de 1 minuto e 36 segundos, retratando o terceiro dia de marcha em que Pérez Esquivel, usando um boné do MST, expressa sua “solidariedade com o povo brasileiro” e pede a “liberação de Lula, que é um preso político”.

Um usuário, que se identifica como Fagner Andrade e que tem inscrito em várias de suas fotos de perfil no Facebook “Eu apoio a intervenção militar”, compartilhou o vídeo que contém a intervenção de Pérez Esquivel com a descrição: “São todos venezuelanos estes malditos”.

Captura de tela de uma publicação no Facebook disseminando um vídeo com uma alegação falsa, 20 de agosto de 2018 (Facebook / AFP)

A descrição do vídeo gerou reações calorosas por parte de outros usuários, em um momento em que o Brasil recebe uma importante afluência de cidadãos venezuelanos que fogem da crise econômica e social em seu país. No primeiro semestre deste ano, 56.470 pessoas do país vizinho buscaram legalizar sua situação no território brasileiro, 35.540 delas através de pedido de refúgio.

Captura de tela do dia 17 de agosto de 2018 de comentarios de um vídeo publicado no Facebook (Facebook / AFP)

Ainda que o Nobel se expresse em espanhol no vídeo, e este seja o idioma oficial da Venezuela, a AFP confirmou que o mesmo não tem nacionalidade do país caribenho.

O assessor de imprensa de Pérez Esquivel assegurou à AFP, através de um correio eletrônico, que o escritor nasceu na Argentina, e que também tem nacionalidade espanhola.

As imagens compartilhadas no Facebook não mostram, ao contrário do afirma o autor da publicação, que todos na manifestação em apoio à Lula são venezuelanos. O único orador do vídeo é o hispano-argentino, uma figura pública destacada que veio ao Brasil para apoiar a candidatura de Lula.

Adolfo Pérez Esquivel, artista e ativista dos direitos humanos, em 1980 foi premiado com o Nobel da Paz por seu papel no Serviço Paz e Justiça na América Latina (SERPAJ-AL), organização fundada em 1974 na Colômbia junto com religiosos, teólogos, ativistas, sindicalistas e líderes comunitários.