Não, Haddad não parabenizou Maduro no Twitter pela "revolução" na Venezuela

Uma imagem compartilhada centenas de vezes em diversas publicações no Facebook desde 1º de maio mostra um suposto tuíte em que o ex-candidato à presidência pelo Partido dos Trabalhadores Fernando Haddad teria parabenizado o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, pela “revolução” realizada no país sul-americano. Entretanto, o tuíte é uma montagem.

Segundo múltiplas publicações (1, 2, 3, 4, 5) no Facebook, compartilhadas centenas de vezes apenas horas após sua criação em 1º de maio de 2019, Haddad teria tuitado o seguinte texto no dia 13 de outubro de 2014: “A revolução que acontece na Venezuela, é sem dúvidas uma conquista que deverá ser exemplo para todos os Paises! Parabéns Maduro! Estamos juntos”.

Entretanto, uma busca na conta oficial de Haddad no Twitter mostra que ele não possui nenhum tuíte com o texto viralizado e que, no dia em questão, ele publicou somente uma mensagem sobre a Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp).

Além disso, há indícios de que o tuíte viralizado é uma montagem. Em uma das publicações compartilhadas no Facebook, é possível ver um detalhe da interface do Twitter que não corresponde à configuração verdadeira da rede social, além de um erro de concordância.

No tuíte viralizado, o nome da conta de Haddad aparece sem o símbolo de “@”, que consta normalmente no Twitter. Além disso, a contagem de 2.788 curtidas da publicação aparece no singular, em um erro de português.

Combinação de fotos feita em 2 de maio de 2019 mostra tuíte viralizado e exemplo de publicação de Haddad

O suposto tuíte de Haddad já havia circulado nas redes sociais em 2018 (1, 2, 3), dias antes do segundo turno da eleição presidencial que o petista disputou com o hoje presidente Jair Bolsonaro. Agora, a publicação ganha nova força depois que o líder do movimento de oposição a Maduro, Juan Guaidó, afirmou ter apoio militar para derrubar o líder socialista.

No dia 30 de abril, um grupo de militares venezuelanos se rebelou contra Maduro, desencadeando protestos antigoverno por todo o país. Entretanto, sem o apoio completo das Forças Armadas, a rebelião fracassou. Em Caracas, um veículo blindado chegou a atropelar um grupo de opositores, e ao menos 4 manifestantes morreram no país em dois dias de protestos.

Manifestantes antigoverno se chocam com forças de segurança venezuelanas em 1º de maio de 2019, em Caracas

Em resumo, o tuíte em que Haddad supostamente parabeniza Maduro e diz que a Venezuela é "um exemplo para todos os paises" é uma montagem.

AFP Brasil