Não há forma de embarcar no metrô de Estocolmo sem ser pagando a passagem

Copyright © AFP 2017-2020. Todos os direitos reservados.

A história de um suposto turista, cuja nacionalidade muda de acordo com o idioma em que é compartilhada, conta que ele se surpreendeu quando viu que havia uma catraca livre no metrô de Estocolmo para quem não pudesse pagar o bilhete. O relato, compartilhado mais de 19,8 mil vezes nas redes sociais ao menos desde 2015, explica que todos os viajantes pagavam a passagem, apesar de poderem passar gratuitamente. Mas isto é falso: segundo a empresa de transportes públicos de Estocolmo, não há nenhum acesso deste tipo na rede de metrô, onde sempre se deve pagar o bilhete.

“Há alguns anos, entrei numa estação de metrô em Estocolmo, a tão civilizada capital da tão primeiro-mundista Suécia, e notei que havia, entre muitas catracas normais e comuns, uma de passagem grátis livre. Questionei à vendedora de bilhetes o porquê daquela catraca permanentemente liberada, sem nenhum segurança por perto. Ela me explicou que aquela era destinada às pessoas que, por qualquer motivo, não tivessem dinheiro para o bilhete da passagem [...], começa o texto de uma das publicações, que circula no Facebook (1, 2, 3) ao menos desde novembro de 2015.

As postagens - que elogiam a conduta dos viajantes da capital sueca que, mesmo podendo passar sem pagar, usam o seu bilhete, e criticam o “jeitinho brasileiro” - foram igualmente compartilhadas em sites (1) e no Instagram (1).

Em português, o texto cita o autor da história como sendo o “Prof. Dr. Décio Tadeu Orlandi” ou “um Professor da USP”.

Captura de tela feita em 26 de outubro de 2020 de uma publicação no Facebook

Versões das publicações em espanhol e catalão, por sua vez, atribuem diferentes nacionalidades ao autor do relato, como chileno, mexicano, marroquino, espanhol, italiano e mediterrâneo, e por vezes falam de um engenheiro argentino.

A equipe de checagem da AFP entrou em contato com a empresa de transporte público de Estocolmo, Storstockholms Lokaltrafik, que indicou que “não é verdade” o que afirmam nas publicações viralizadas.

“É necessário um bilhete para ter acesso às estações ou ao metrô. Todos necessitam de uma passagem válida e há portas de acesso, assim como controles rotineiros. Existe a aplicação de multas caso alguém viaje sem bilhete ou esteja com algum que não é válido. A multa por viajar sem passagem pode chegar a 1.500 coroas suecas [cerca de 965 reais, ou 171 dólares, de acordo com a cotação do Banco Central em 26 de outubro de 2020], assegurou uma porta-voz da empresa, que não quis se identificar.

O site da empresa informa as tarifas de viagem e não contempla nenhuma exceção para metrô, trens, ou bondes. No portal também são especificadas as sanções por embarcar sem bilhete de passagem.

Além disso, fóruns de viajantes como o TripAdvisor informam sobre os preços de transporte público da cidade e tampouco indicam a possibilidade de acesso gratuito no metrô.

Nos ônibus, ao contrário, crianças menores de 7 anos, por exemplo, podem viajar gratuitamente sempre e quando estiverem acompanhadas de um maior de idade com passagem válida.

O Checamos tentou entrar em contato com Décio Tadeu Orlandi, indicado em diversas publicações como o autor da história, mas não obteve retorno até a publicação deste artigo.

Por fim, uma busca reversa em diferentes motores revelou que nem todas as fotos usadas para ilustrar as postagens viralizadas sobre o metrô de Estocolmo correspondem a uma estação da cidade, mostrando, por exemplo, São Paulo, ou Londres.

As outras fotografias, contudo, são, de fato, de estações de metrô em Estocolmo (1, 2, 3).

Em resumo, a história de um professor ou de turistas de diferentes nacionalidades que testemunharam como usuários do metrô de Estocolmo pagavam a passagem ainda que pudessem passar gratuitamente é falsa. Não existe nenhum acesso gratuito para quem não pode pagar o bilhete e viajar sem este tíquete pode fazer com que o indivíduo leve uma multa.

Tradução e adaptação
AFP Brasil