Não há evidências de que funcionário que matou cachorro no Carrefour em Osasco tenha sido linchado

Depois que a notícia do cachorro abatido em uma loja da rede Carrefour em Osasco, região metropolitana de São Paulo, espalhou-se pelas redes sociais do Brasil, a informação de que o funcionário que teria matado o animal foi espancado por cidadãos inconformados viralizou nas redes sociais. Não há evidências de que o incidente tenha ocorrido.

A notícia falsa que originou o boato diz: “O segurança do Carrefour acusado de espancar e matar a pauladas um cachorro na unidade de Osasco-SP, deu entrada na tarde desta terça-feira (04) no pronto socorro do Hospital Municipal Antônio Giglio com múltiplos ferimentos pelo corpo após ser brutalmente espancado por populares revoltados com a morte do animal.”

Captura de tela de uma publicação em um blog, feita 6 de dezembro de 2018Captura de tela de uma publicação em um blog, feita 6 de dezembro de 2018

Outro blog, em um artigo compartilhado mais de 20.000 vezes, publicou: “O homem, que não teve o nome divulgado por questões de segurança, estava indo até a unidade do Carrefour onde trabalha para pegar alguns pertences quando foi reconhecido por manifestantes. Ele ainda correu, mas foi perseguido pelos populares que o alcançaram e desferiram vários golpes e pontapés.”

Não há evidências que sustentem esta versão.

Procurada pela AFP, a Polícia Civil, que acompanha o caso do cachorro abatido no supermercado, afirmou não ter conhecimento sobre agressões contra o funcionário que teria tirado a vida do animal.

Também contatada pela equipe de checagem da AFP, a administração do Hospital Municipal Antônio Giglio, em Osasco, disse desconhecer que o homem que matou o cachorro no Carrefour tenha sido atendido na instituição. Um funcionário do centro de saúde declarou que “se ele tivesse sido atendido aqui, todos estariam sabendo”.

Finalmente, uma foto de um homem agredido que é usada para ilustrar o suposto incidente é uma captura de um vídeo que está na internet pelo menos desde novembro de 2016. Segundo a descrição no YouTube, as imagens mostram um homem, acusado de estuprar uma criança, que foi linchado em Itabuna, sul do estado da Bahia.

Outra foto, também utilizada para mostrar o episódio, é uma captura do vídeo de uma agressão registrada em Nova Jersey, nos Estados Unidos, em abril de 2017.

Captura de tela de uma publicação em um blog, feita 6 de dezembro de 2018Captura de tela de uma publicação em um blog, feita 6 de dezembro de 2018

No dia 4 de dezembro de 2018, a AFP confirmou a história do abate de um cão em um Carrefour em Osasco, na região metropolitana de São Paulo. A informação foi respaldada pelo própria rede de supermercados e pela Polícia Civil.

O caso provocou indignação e convocações de boicote à empresa, o que também gerou reação negativa em alguns usuários que defendem a rede. No entanto, até o momento não há informação que confirme que o responsável pelo crime tenha sido espancado.

AFP Brasil