Não, estas fotos não são do advogado de Adélio Bispo, o homem que esfaqueou Bolsonaro

Publicações que circulam nas redes sociais desde o período eleitoral de 2018 no Brasil afirmam mostrar o suposto advogado do homem que esfaqueou o então candidato Jair Bolsonaro em eventos em que estão o ex-presidente Lula e Fernando Haddad, ambos do Partido dos Trabalhadores (PT), alegando uma relação entre o jurisconsulto e os políticos. Estas versões são falsas.

Uma das fotos, difundida pelo menos 33.000 vezes em redes sociais, mostra o advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, conhecido como Kakay, ao lado de Fernando Haddad e afirma que o mesmo é “um dos quatro advogados de Adélio Bispo”, o autor do ataque contra o político de extrema direita.

Captura de tela feita no dia 30 de novembro de uma publicação no FacebookCaptura de tela feita no dia 30 de novembro de uma publicação no Facebook

A foto foi tirada no dia 18 de outubro de 2018 em um evento em São Paulo em que, ironicamente, juristas se reuniram contra mensagens de ódio e notícias falsas, supostamente alentadas por Bolsonaro durante a campanha eleitoral. Kakay aparece ao lado do político petista em diversas imagens da ocasião.

No entanto, Kakay não é advogado de Adélio Bispo. O autor da agressão é defendido por quatro outros advogados: Zanone Manuel de Oliveira Junior, Pedro Augusto de Lima Felipe e Possa, Fernando Costa Oliveira Magalhães e Marcelo Manoel da Costa. Em um vídeo que Kakay gravou e foi publicado no YouTube, afirma que nunca foi “advogado deste tal Adélio”.

Outra imagem, compartilhada mais de 15.000 vezes no Facebook, mostra um homem de aparência semelhante a Kakay durante a audiência de Lula na Operação Lava Jato realizada na última quarta-feira, dia 14 de novembro de 2018. A descrição da publicação diz: “Advogado de Lula é o mesmo advogado de Adélio que esfaqueou Bolsonaro. O que dizer disso?”.

 

Kakay tampouco é advogado de Lula, como também explica no vídeo que publicou para desmentir boatos sobre sua pessoa. Segundo o mesmo, ele sequer esteve presente na audiência. A representação jurídica de Lula é feita pelo escritório de advocacia Teixeira Martins e Advogados.

Lula, preso desde abril deste ano por ter sido condenado a 12 anos e um mês de encarceramento como beneficiário de um tríplex oferecido pela construtora OAS, no dia 14 de novembro deste ano fez um depoimento marcado por discussões com a juíza federal substituta de Sergio Moro, Gabriela Hardt. Ele atacou a operação Lava Jato, negou ser o dono do sítio em Atibaia e que tinha conhecimento sobre reformas no imóvel.

Em resumo, a pessoa que posa ao lado de Haddad em uma foto não é o advogado do homem que esfaqueou Bolsonaro, nem de Lula, e não esteve presente na audiência deste último. A equipe de checagem de AFP no Brasil já desmentiu diversas histórias envolvendo o ex presidente petista e uma versão sobre o atentado contra o presidente eleito Jair Bolsonaro.

AFP Brasil