Não, Bolsonaro não votou contra o impeachment de Temer, mas sim afirmou que a aposentadoria aos 65 anos é um “crime”

Uma publicação compartilhada mais de 4.500 vezes desde 24 de março de 2019 alega que o presidente Jair Bolsonaro votou contra o impeachment do ex-presidente Michel Temer e que ele declarou que se aposentar aos 65 anos é um “crime”. A primeira afirmação é falsa, mas a segunda, não.

A postagem viralizada no Facebook, mas que já foi retirada da rede, tem o seguinte texto: “Será que dá para apagar aquele vídeo que votei contra o impeachment do Temer e o outro que eu dizia que era um crime uma pessoa se aposentar somente aos 65 anos de idade?”. Além disso, a informação da votação em que Bolsonaro supostamente votou contra o impeachment de Temer foi encontrada no Twitter.

A equipe de checagem da AFP no Brasil verificou as duas afirmações e constatou que a primeira é falsa, pois nas duas votações ocorridas Jair Bolsonaro, então deputado federal pelo Partido Social Cristão (PSC-RJ), havia se posicionado favoravelmente à aceitação de um pedido de inquérito contra Michel Temer (MDB), então presidente do país.

O presidente Jair Bolsonaro ao lado do ex-presidente Michel Temer durante uma cerimônia em Itaguaí, no Rio de Janeiro, em 14 de dezembro de 2018. (Mauro Pimentel / AFP)
 

Em 25 de outubro de 2017, data da segunda votação, a Câmara dos Deputados rejeitou o envio ao Supremo Tribunal Federal (STF) da denúncia por organização criminosa e obstrução da Justiça contra Temer. Naquele dia, o deputado Bolsonaro declarou: "Com a coerência de sempre, pelo fim da corrupção, meu voto é não, pelo prosseguimento das investigações". O partido de Bolsonaro havia orientado que seus membros votassem "sim" ao relatório que rejeitava o prosseguimento da denúncia contra Temer.

Reforma da previdência

Por outro lado, a alegação de que Bolsonaro disse que se aposentar aos 65 anos é um crime é verdadeira. O então deputado federal efetivamente deu essa declaração, como é possível ver neste vídeo, publicado em 21 de março de 2017, antes de ser candidato às últimas eleições presidenciais. Durante uma entrevista concedida ao programa “É Notícia”, da emissora RedeTV!, em maio de 2017, Bolsonaro também disse a respeito da reforma da previdência de Temer: "Eu ‘tive’ no Piauí, a expectativa de vida lá… 69 anos, ‘botar’ 65 [anos] é um crime. É simplesmente um crime".

Durante a visita ao Piauí (nordeste) à qual Bolsonaro fez referência também foi abordado o tema da reforma da previdência, no qual se manifestou contra a idade mínima de 65 para se aposentar.

Aos 38 minutos do vídeo, durante o seu discurso, ele assinala: "a expectativa de vida no Nordeste ‘tá’ na casa dos 70 anos. Querer aprovar uma reforma com 65 anos é, no mínimo, uma falta de humanidade. Querer uma contribuição de 49 anos [para obter o benefício da aposentadoria integral], isso é um crime".

As declarações de 2017 voltaram à tona após seu governo entregar em 20 de fevereiro deste ano uma nova proposta de reforma da Previdência.

O presidente Jair Bolsonaro (E) cumprimenta o seu ministro da Economia, Paulo Guedes, durante cerimônia de posse no Palácio do Planalto, em Brasília, em 1º de janeiro de 2019. (Sergio Lima / AFP)
 

Este projeto propõe que a idade mínima para se aposentar seja 62 anos para mulheres e 65 para os homens, e determina que os brasileiros que quiserem obter o valor integral do benefício deverão contribuir durante 40 anos. No mesmo dia em que entregou seu projeto, Bolsonaro admitiu ter errado ao votar contra a reforma da Previdência no passado.

Em resumo, a postagem em questão apresenta uma mistura de informações correta e errônea: o atual presidente da República não votou contra o impeachment de Temer, mas realmente tinha declarado que permitir que os cidadãos se aposentem com 65 anos seria um “crime”.

AFP Brasil