Na verdade, um assessor de Guimarães foi detido com dólares escondidos na cueca

Copyright © AFP 2017-2020. Todos os direitos reservados.

Publicações compartilhadas mais de 20 mil vezes em redes sociais desde 1º de outubro afirmam que o deputado federal José Guimarães (PT - CE) foi preso em flagrante com U$ 200 mil na cueca. No entanto, foi um assessor de Guimarães que foi detido com dólares escondidos na roupa de baixo. Guimarães chegou a ser denunciado por suposto envolvimento com o caso, mas, em 2012, o Superior Tribunal de Justiça decidiu contra a acusação.

“Só no Brasil um meliante preso em flagrante com 200 mil dólares na cueca vira deputado. Em qualquer país civilizado estaria puxando 10 anos de cadeia”, diz o texto, que acompanha uma foto de José Guimarães em diversas publicações no Facebook (1, 2, 3). 

Captura de tela feita em 02 de outubro de 2019 mostra publicação viralizada no Facebook

No entanto, o deputado José Guimarães nunca foi detido com dólares escondidos na cueca.

As publicações provavelmente se referem a um caso registrado em julho de 2005, quando um assessor de Guimarães chamado José Adalberto Vieira da Silva foi detido no aeroporto de Congonhas com US$ 100 mil escondidos na cueca.

Na época, Guimarães chegou a ser denunciado pelo Ministério Público Federal por suposto envolvimento com o caso, mas, em 2012, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) acolheu recurso determinando que o deputado não figurasse como réu na ação.

O relator do caso alegou que a “relação de amizade e companheirismo político e partidário não são o bastante para sustentar a instauração de uma ação de improbidade em relação ao recorrente”.

A equipe de checagem da AFP já verificou boato semelhante mencionando o petista.

O caso dos dólares voltou ao olhar público depois que o deputado foi filmado por um passageiro que se sentou ao seu lado em um voo no último dia 30 de setembro. Em vídeo viralizado, o passageiro diz: “Olha de quem eu estou do lado: o capitão cueca, que foi pego com dinheiro na cueca, é o ‘Zé’ Guimarães, do PT”.

Em publicação no Twitter, o deputado afirmou que o vídeo “é repleto de fake news”. “Jamais fui preso e não estive envolvido quando um assessor foi pego com dinheiro no aeroporto de Congonhas em 2005. Eu, inclusive, fui inocentado da acusação de improbidade administrativa, em 2012, pelo STJ”, acrescentou Guimarães.

Em nota enviada à AFP em 3 de outubro, a Polícia Federal afirmou que está apurando o caso do voo para avaliar se foram cometidos crimes contra a honra do deputado José Guimarães.

Em resumo, é falso que o deputado José Guimarães tenha sido “preso em flagrante” com dólares escondidos na cueca. Na verdade, um caso semelhante aconteceu com um assessor do político petista em julho de 2005.

AFP Brasil