João Doria não foi ao Maracanã assistir a final da Taça Libertadores; Bruno Covas, sim

Copyright © AFP 2017-2020. Todos os direitos reservados.

Publicações compartilhadas mais de 107 mil vezes em redes sociais desde 30 de janeiro asseguram que tanto o governador de São Paulo, João Doria, quanto o prefeito da cidade, Bruno Covas, foram ao Rio de Janeiro neste dia assistir à final da Taça Libertadores da América, disputada por dois times paulistas. Essa alegação é enganosa. Embora Covas realmente tenha tirado uma licença para assistir ao jogo de futebol no estádio, Doria acompanhou a partida de casa. A imagem do governador compartilhada nas redes é de dezembro de 2019.

“Fechando tudo em São Paulo e vão para o Maracanã assistir o jogo. Os comerciantes que se danem para essa dupla que está devastando a cidade de São Paulo. Dois hipócritas de péssima qualidade”, dizem as publicações compartilhadas dezenas de milhares de vezes no Facebook (1, 2, 3), Instagram (1, 2, 3) e Twitter  desde o final de janeiro.

As postagens são ilustradas por duas imagens dos políticos do PSDB vestindo camisas do Santos, que disputou com o Palmeiras a taça do principal campeonato de futebol da América do Sul no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, no último dia 30.

Captura de tela feita em 1º de fevereiro de 2021 de uma publicação no Facebook

A suposta viagem dos dois governantes gerou críticas nas redes já que, em 22 de janeiro, o governo de São Paulo havia endurecido a quarentena em algumas partes do estado, determinando o fechamento de comércios não essenciais até 7 de fevereiro para conter o avanço do novo coronavírus.

Não é verdade, contudo, que ambos os políticos tenham ido ao Rio de Janeiro assistir à partida.

Uma busca reversa no Google pela foto de João Doria com a camisa do Santos mostra que ela circula desde 8 de dezembro de 2019, quando o time goleou o Flamengo em partida do Campeonato Brasileiro  no estádio Vila Belmiro, em Santos (SP). Nessa época, a China sequer havia comunicado a OMS sobre a detecção do novo coronavírus, o que ocorreu em 31 de dezembro. 

Captura de tela feita em 1º de fevereiro de 2021 de uma matéria publicada no site de notícias G1

No dia da final da Libertadores, João Doria publicou em suas redes sociais uma outra foto vestindo a camisa do Santos ao lado de sua esposa, Bia Doria. “Hoje vai dar Peixe! Viva o Santos, rumo ao tetracampeonato!”, escreveu, sem especificar onde estava assistindo ao jogo - que o Santos perdeu por 1 a 0.

Contactada em 1º de fevereiro, a assessoria de imprensa do governador de São Paulo informou que Doria estava em sua residência, na capital paulista, com seus familiares. “É falsa a informação de que o Governador João Doria assistiu à final da Libertadores, ocorrida neste sábado (30), no Maracanã”, acrescentou.

De fato, atrás do casal é possível identificar uma edificação branca com grandes janelas de vidro verde, arquitetura semelhante a de uma casa vista recorrentemente em fotos publicadas pelo governador (1, 2, 3).

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

A post shared by João Doria (@jdoriajr)

Além disso, não foi noticiada na mídia a presença de Doria no jogo. Pelo contrário, dois dias antes da partida, foi reportado que o governador de São Paulo havia recusado o convite da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) para assistir ao jogo no estádio.

Devido à pandemia de covid-19, não houve venda de ingressos para a final da Libertadores, mas autoridades e patrocinadores foram convidados, assim como alguns funcionários e familiares dos jogadores.

Prefeito no Maracanã

Por outro lado, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, efetivamente compareceu ao jogo de 30 de janeiro.

A presença do prefeito no Maracanã foi amplamente reportada pela mídia (1, 2, 3) - que publicou a mesma imagem compartilhada nas redes - e confirmada por Covas em sua conta no Instagram.

O prefeito, que enfrenta um câncer na região entre o esôfago e o estômago, havia tirado uma licença médica de 10 dias para se recuperar das sessões de radioterapia. O período terminou em 28 de janeiro e, em seguida, Covas tirou uma licença não remunerada “para aproveitar uns dias” com o filho, segundo relatou.

“Fomos ver a final da libertadores da América no Maracanã, um sonho nosso. Respeitamos todas as normas de segurança determinadas pelas autoridades sanitárias do RJ. Mas a lacração da Internet resolveu pegar pesado. Depois de tantas incertezas sobre a vida, a felicidade de levar o filho ao estádio tomou uma proporção diferente para mim. Ir ao jogo é direito meu”, escreveu Covas no Instagram.

Conteúdo semelhante a este também foi verificado pela Agência Lupa.

Em resumo, embora Bruno Covas tenha assistido à final da Libertadores no Maracanã em 30 de janeiro, João Doria acompanhou a partida em casa. A foto do governador compartilhada nas redes é de dezembro de 2019.

AFP Brasil