Lula não foi recebido em Recife sob gritos de “Lula ladrão chegou”, áudio é de protestos de 2018

Copyright © AFP 2017-2022. Todos os direitos reservados.

Um vídeo compartilhado mais de 25 mil vezes nas redes sociais desde o último 15 de agosto mostra Luiz Inácio Lula da Silva desembarcando de um avião, enquanto se ouve uma suposta multidão gritando “Lula ladrão chegou”. Segundo as publicações, a gravação exibe a chegada do ex-mandatário ao aeroporto de Recife naquele dia. O vídeo, no entanto, é uma montagem. Embora as imagens realmente sejam do seu desembarque na capital em 15 de agosto de 2021, o áudio corresponde ao de manifestações ocorridas em 2018.

“Ladrão desembarcou hoje em recife olha a multidão. Torcida gritando mais alto que a do Flamengo no Maracanã !!!!!” e “Esta chegada de Lula no aeroporto de Recife em agosto, apesar de distante do povo, não conseguiu se esquivar. No seu Estado ! Esse é o verdadeiro placar eleitoral”, dizem as legendas de publicações compartilhadas no Facebook (1, 2), no Instagram (1, 2) e no Twitter (1, 2).

Captura de tela feita em 16 de agosto de 2021 de uma publicação no Facebook

O ex-presidente (2003-2010) chegou a Recife para uma viagem por seis estados do Nordeste, começando por Pernambuco, onde nasceu. Lula lidera as pesquisas de intenção de voto para a Presidência em 2022 e declarou em maio deste ano sua possível candidatura.

De acordo com uma publicação no site do Partido dos Trabalhadores (PT), o objetivo da visita é “debater com lideranças políticas e movimentos sociais o futuro de Pernambuco, o momento atual do país e os desafios para o desenvolvimento e o crescimento regional e nacional”.

Acompanham Lula na viagem iniciada no dia 15 de agosto a presidente do partido, Gleisi Hoffmann, e Marcio Macedo, vice-presidente do PT.

Chegada a Recife

Ainda de acordo com as informações contidas no site do PT, “não haverá ato público de massa em nenhum dos estados” devido à pandemia de covid-19.

Em seu perfil no Facebook, a deputada estadual de Pernambuco Teresa Leitão (PT) publicou no último dia 15 uma fotografia com a seguinte legenda: “Já no aeroporto, aguardando a chegada de Lula. O pedido de Lula para evitar aglomeração está sendo atendido. Daqui a pouco ele chega”.

Em um vídeo publicado pelo senador Humberto Costa (PT-PE) e por Marcio Macedo no Twitter (1, 2), é possível ver a mesma cena presente na gravação viralizada. A sequência também foi publicada no YouTube por meios de comunicação.

Apesar de se escutar gritos, não há semelhanças entre o áudio dessas gravações e o do vídeo viralizado.

Ex-presidente Lula recebe apoiadores durante visita em Recife em 26 de agosto de 2017 ( AFP / Leo Caldas)

O áudio em que se escuta “Lula ladrão chegou” é semelhante ao de gravações feitas em 2018. Uma delas foi publicada em 20 de março daquele ano pelo Movimento Brasil Livre (MBL), quando o ex-presidente passou pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), no Rio Grande do Sul.

A mesma frase foi entoada em 7 de abril de 2018, durante a prisão de Lula em Curitiba. Inicialmente, manifestantes gritavam “Lula ladrão seu lugar é na prisão” e, em seguida, deram início aos gritos que foram utilizados no vídeo viral.

Condenações e libertação

Em abril de 2018 o ex-presidente foi detido em São Bernardo do Campo (SP) e transferido para a sede da Polícia Federal em Curitiba, onde ficou preso por 18 meses, perdendo o direito de concorrer às eleições presidenciais de 2018, por conta da Lei da Ficha Limpa.

Em 2019, Lula foi libertado após o Supremo Tribunal Federal (STF) derrubar a prisão em segunda instância. Na decisão, a Corte expressou a necessidade de serem esgotadas todas as possibilidades de recursos judiciais antes do cumprimento da pena.

Em abril de 2021, o STF confirmou a decisão do ministro Edson Fachin de anular as condenações por corrupção contra o ex-presidente. Em março, Fachin havia determinado a incompetência da 13ª Vara Federal de Curitiba, então sob titularidade de Sergio Moro, para julgar o ex-mandatário em dois processos ligados à Operação Lava-Jato.

Em uma das ações, Lula havia sido condenado por corrupção e lavagem de dinheiro, como beneficiário de um apartamento tríplex no Guarujá por parte da empreiteira OAS. Na segunda ação, ele foi acusado de receber propina de construtoras por meio de obras em um sítio em Atibaia, no interior de São Paulo. Com os processos anulados, o ex-presidente restituiu seus direitos políticos e poderá concorrer nas eleições de 2022.

Em junho de 2021, o ministro Gilmar Mendes ampliou um entendimento da Segunda Turma do STF, depois confirmado pelo plenário, e aplicou a suspeição do ex-juiz Sergio Moro em todos os processos de Lula. Assim, todas as ações contra o ex-presidente sob a competência de Moro foram reiniciadas do zero.

Este conteúdo também foi checado pela Agência Lupa.

Eleições 2022