Este casal de idosos estava se despedindo em um hospital, mas não há registros de que seu estado de saúde esteja ligado ao novo coronavírus

Publicações compartilhadas nas redes sociais desde 2 de fevereiro de 2020 mostram um vídeo em que um casal de idosos internados dão as mãos e se despedem por, supostamente, acabarem de saber que contraíram o novo coronavírus. Não há registros, entretanto, de que algum deles tenha realmente sido infectado com a doença.

“Casal de idosos infectados pelo Coronavírus. Pelo que eu entendi, essa foi a despedida deles já que tiveram que ser separados [sic] e “Amor em tempo de coronavírus. Um casal de idosos chinês, infecionado com o coronavírus e internado num hospital em Wuhan, na China, troca carícias e despede-se com receio de não sobreviver ao vírus [sic], dizem as legendas que acompanham os vídeos em postagens no Facebook (1), no Twitter (1) e em sites (1) na Internet.

O vídeo de 15 segundos também circulou com alegações semelhantes em espanhol, obtendo milhares de interações nas redes sociais (1).

Captura de tela de publicação no Facebook feita em 19 de fevereiro de 2020

Ao fazer capturas de tela da gravação e realizar uma busca reversa* com a ferramenta TinEye, um dos resultados leva a um artigo publicado no site britânico Daily Mail, com data de 4 de fevereiro de 2020, que conta a história do senhor Zhang, de 85 anos, e da senhora Wen, de 87 anos.

Segundo a publicação britânica, os dois foram internados no Hospital da Terceira Idade do distrito de Xindu, na província chinesa de Chengdu. O homem deu entrada no local em 16 de janeiro por conta de uma doença pulmonar obstrutiva crônica, câncer de pulmão e aterosclerose. A mulher, uma paciente com alzheimer, perdeu a consciência no dia seguinte, devido a uma insuficiência respiratória. Foi levada para a unidade de cuidados intensivos, onde a mantiveram por meio de ventilação mecânica.

Um dia antes do artigo do Daily Mail, em 3 de fevereiro, o meio de comunicação chinês Red Star News havia publicado a história dos idosos, compartilhando-a em sua conta na Weibo, uma rede social popular na China. Citando um funcionário do hospital, o artigo afirma que, em 30 de janeiro, Zhang pediu aos seus filhos para ver sua esposa: “Talvez, nesta vida, eu não volte a vê-la”. Os médicos do hospital aceitaram o pedido e colocaram o casal em camas próximas.

Segundo o relato do Red Star News, em 31 de janeiro, ocorreu a cena vista no vídeo: Zhang pega a mão de Wen e a chama pelo nome. Ela o observa, mas não pode falar, por causa do aparelho colocado em sua garganta. Wen faleceu nesse mesmo dia, horas mais tarde, e devido ao estado de saúde de Zhang, seus filhos preferiram não lhe dar a notícia, ainda de acordo com o meio de comunicação chinês.

A história publicada pelo Red Star News foi compartilhada pelas contas oficiais no Weibo do Hospital da Terceira Idade de Xindu e do governo de Chengdu. “Obrigado senhor Zhang e senhora Wen por interpretarem da melhor maneira o amor para nós”, escreveu o hospital em sua conta, na qual esta aparece como a última postagem no Weibo, de 4 de fevereiro, até esta data.

Em suas matérias sobre o casal de idosos, nem o Daily Mail nem os meios de comunicação chineses mencionados fazem referência ao novo coronavírus, doença que foi contraída por mais de 74 mil pessoas e que até 20 de fevereiro provocou a morte de mais de 2.100 no país asiático desde que surgiu, no final do ano passado.

Postagem viral feita de uma embaixada

Ao acessar a maioria dos artigos publicados na imprensa que compartilhavam a desinformação, foi possível notar que eles continham um vídeo postado no Twitter em 2 de fevereiro de 2020 por um usuário chamado Julio Jiang Wei, atual porta-voz da embaixada da China no Panamá.

Em sua publicação, o funcionário afirmava que o casal havia contraído o novo coronavírus. Esta é a primeira publicação em inglês na Internet que associa o vídeo com a epidemia da COVID-19.

Captura de tela feita em 13 de fevereiro de 2020 do tuíte do porta-voz da embaixada da China no Panamá

No canto superior esquerdo das imagens, pode-se ver o logotipo do TikTok, uma rede social de origem chinesa que nesse país se chama Douyin, e o usuário que as publicou.

A equipe de checagem da AFP em Hong Kong conseguiu identificar que a publicação original nessa rede foi feita em 1º de fevereiro pelo Departamento de Relações Públicas do distrito de Xindu. Assim como nas matérias da imprensa chinesa, não há menção ao novo coronavírus, apenas ao que é considerado o “comovente” gesto dos idosos e onde a cena foi registrada.

A AFP entrou em contato com Jiang Wei para perguntar o motivo pelo qual havia publicado o vídeo afirmando que se tratava de um casal que contraiu a doença. A AFP não obteve resposta até a publicação deste artigo. Em 17 de fevereiro de 2020, foi constatado que Wei removeu o tuíte.

Em resumo, é verdade que o vídeo corresponde a um casal de idosos chineses que, segundo relatos da mídia, estão se despedindo diante da morte iminente de um deles, mas as publicações mais antigas da gravação não a relacionam com a epidemia do novo coronavírus.

*Uma vez instalada a extensão InVid no navegador Chrome, clica-se com o botão direito sobre a imagem e o menu que aparece oferece a possibilidade de pesquisa da mesma em vários buscadores.

AFP Hong Kong
AFP Uruguay
AFP Brasil