Em 2014, o papa cumprimentou sobreviventes do Holocausto, não Rockefeller, Rothschild e Kissinger

Copyright © AFP 2017-2021. Todos os direitos reservados.

Milhares de usuários compartilham desde 2015 nas redes sociais fotografias e vídeos do papa Francisco beijando as mãos de vários homens que, segundo as publicações, são “Rockefeller, Rothschild e Kissinger”. Contudo, as pessoas que aparecem não pertencem nem às famílias dos dois milionários mencionados primeiro, nem à do ex-secretário de Estado norte-americano Henry Kissinger: tratam-se de sobreviventes do Holocausto aos quais o pontífice realmente prestou homenagem.

“Papa Francis beijando as mãos de ‘David Rockefeller, Henry Kissinger e John Rothschild’ (Abra sua mente)”, dizem as legendas de vídeos visualizados mais de 588 mil vezes no Facebook (1, 2, 3). Outros usuários compartilharam uma imagem (1, 2) da mesma cena e com a mesma alegação, que circula desde setembro de 2015.

Enquanto algumas postagens especificam que o papa havia beijado a mão de John Rothschild, outras eram mais genéricas e se referiam apenas a Rothschild.

A sequência e a fotografia também foram encontradas no Instagram, no YouTube (1, 2) e no Twitter (1), assim como em espanhol (1). 

Captura de tela feita em 4 de março de 2021 de uma publicação no Facebook

Uma busca reversa no Google pela cena viralizada mostrou entre os resultados um artigo com data de 26 de maio de 2014 do jornal italiano La Stampa sobre o encontro do papa Francisco com sobreviventes do Holocausto durante sua visita a Israel.

O papa visitava o Memorial Yad Vashem, dedicado às vítimas do extermínio de seis milhões de judeus, executado pelos nazistas durante a Segunda Guerra Mundial.

As imagens do vídeo viralizado foram publicadas no canal do memorial no YouTube e no do primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu. Nem nas informações sobre a visita do papa à Terra Santa nem nessas sequências oficiais fala-se que os três homens mencionados nas postagens nas redes sociais estiveram presentes.

Segundo o memorial, o papa apertou as mãos, entre outros, de Eliezer Grynfeld (de quem beija a mão nas fotos viralizadas) e Moshe Ha-Elion (atrás de Grynfeld). A mulher à direita da imagem é identificada como Sonia Tunik-Geron.

Nas fotografias da AFP vistas abaixo aparecem Eliezer Grynfeld e Moshe Ha-Elion com o pontífice. O homem usando óculos com hastes pretas atrás dos dois na primeira imagem é Joseph Gottdenker, segundo o Yad Vashem.

O papa Francisco beija a mão de Eliezer Grynfeld, sobrevivente do Holocausto, em sua visita ao Memorial Yad Vashem de Jerusalém, em 26 de maio de 2014 (Gali Tibbon / AFP)
O papa Francisco aperta a mão de Moshe Ha-Elion (direita) em sua visita ao Memorial do Holocausto Yad Vashem de Jerusalém, em 26 de maio de 2014 (Gali Tibbon / AFP)

A seguir, as imagens de dois dos três homens mencionados nas publicações viralizadas: Kissinger e Rockefeller.

O ex-secretário de Estado norte-americano Henry Kissinger, em Berlim, em 21 de janeiro de 2020 (John Macdougall / AFP)
O empresário dos Estados Unidos David Rockefeller, em Paris, em 11 de abril de 2006 (Stephane De Sakutin / AFP)
Tradução e adaptação
AFP Brasil