Passageiros em um trem rápido em Cingapura em 5 de novembro de 2021 ( AFP / Roslan Rahman)

“L’altra par”: o título é atribuído a curtas que não foram premiados no Festival de Cinema de Veneza

Copyright © AFP 2017-2022. Todos os direitos reservados.

Dois vídeos foram compartilhados centenas de vezes desde, pelo menos, 2018 com a legenda: “O filme egípcio ‘L'altra par’ durou só 3 minutos e ganhou o prêmio de melhor curta metragem no festival de cinema de Veneza”. Além da descrição nas redes sociais, ambos compartilham um tema: seres humanos tão absorvidos pela tecnologia que ficam isolados de seu ambiente, o que os leva a causar acidentes ou a própria aniquilação. Mas nenhum deles foi feito por um diretor egípcio, nem leva esse título, tampouco foi premiado no festival italiano.

“O diretor tem 20 anos. O filme descreve como as pessoas se isolam na tecnologia e perdem a convivência humana”, acrescentam as publicações que divulgam os vídeos compartilhados no Facebook (1, 2, 3) e no Twitter. A sequência animada em preto e branco e com música de piano ao fundo dura cerca de dois minutos e meio e mostra um menino ignorado pelo resto dos personagens, que estão focados em seus telefones celulares. A trama denuncia a superexposição nas redes e a pouca interação social dos humanos nas cenas cotidianas.

Conteúdo semelhante foi publicado também em espanhol, inglês e catalão

Captura de tela feita em 4 de fevereiro de 2022 de uma publicação no Facebook ( . / )

O mesmo texto também tem aparecido nas redes acompanhado de outra sequência (1, 2), neste caso, com uma animação colorida de três minutos de duração. Os personagens do curta, absortos em seus celulares, causam acidentes domésticos, médicos e científicos. Milhares de usuários o divulgaram em espanhol, francês, italiano, inglês e catalão.

A AFP apurou, no entanto, que nenhum desses filmes corresponde a um curta-metragem chamado “L'altra par” realizado por um diretor egípcio ou premiado no Festival de Cinema de Veneza.

Quanto à origem do título, a equipe de verificação da AFP não descobriu de qual idioma “L'altra par” se origina, apesar de ter semelhanças com várias línguas latinas. Em catalão, por exemplo, “l'altre par” ou “l'altre parell” corresponderia a “o outro par”. Também seria semelhante em latim (“Alter par”), espanhol (“el otro par”) e francês (“l'autre paire”), mas nenhum deles coincide plenamente com o título que as publicações virais reproduzem.

Videoclipe de Moby

Uma busca reversa por capturas da animação em preto e branco, obtida com a ferramenta InVID We Verify*, levou a um videoclipe publicado no YouTube em 18 de outubro de 2016 pelo compositor americano de música eletrônica Moby com The Void Pacific Choir.

O curta animado originalmente acompanha a música “Are you lost in the world like me?” (“Você está perdido no mundo como eu?”, em português), do álbum “These systems are falling” (“Esses sistemas estão falhando”).

As publicações nas redes sociais compartilham uma versão mais curta do vídeo, com outro tema de fundo: “Comptine d'un autre été”, de Yann Tiersen, trilha sonora do filme “O Fabuloso Destino de Amélie Poulain”, do diretor francês Jean-Pierre Jeunet. Além da música, há uma narração de um homem falando sobre o uso da tecnologia e a falta de conexão entre as pessoas.

De acordo com os créditos, o autor do videoclipe é o ilustrador e animador inglês Steve Cutts, que também mencionou esse trabalho em seu portfólio profissional e em um tuíte. Cutts, nascido em 1995, tinha 21 anos quando o videoclipe foi lançado.

A sequência ganhou o prêmio Webby de melhor vídeo animado em 2017. A premiação “reconhece a excelência na internet” segundo seu site.

O curta-metragem chinês 

Uma busca reversa com as capturas da animação colorida resultou em um site mostrando alguns deles com a descrição em hebraico: “Life Smartphone, uma animação curta-metragem criada por um estudante da Academia Central de Artes da China, mostra por que o vício em smartphones pode matar você”. 

Uma nova pesquisa no Google por “Life Smartphone” levou a uma página no IMDB, um banco de dados de filmes, indicando que se trata de um curta-metragem de 2015 dirigido pelo cineasta chinês Chenglin Xie.

“Ele foi nomeado em 2015 como um dos 30 principais diretores de microfilmes chineses. Seu primeiro trabalho de animação, Life Smartphone, foi selecionado oficialmente por quase 40 festivais de animação e cinema e ganhou quase 20 prêmios”, diz o site do festival Sundance sobre Chenglin Xie.

Vencedores do Festival de Cinema de Veneza

A equipe de verificação da AFP não encontrou nenhum registro de um curta chamado “L'altra par” nem “The other pair” ganhando qualquer prêmio no Festival de Cinema de Veneza.

Consultado pela AFP em 26 de janeiro de 2022, o escritório de comunicação do festival confirmou que “nenhum curta-metragem com esse título ganhou um prêmio no Festival de Cinema de Veneza”.

Há um filme egípcio de 2014 chamado “The other pair” (“O outro par”, em português). Ele foi dirigido por Sarah Rozik e se baseia em parte da vida do pensador Mahatma Gandhi, de acordo com os créditos finais. Este curta egípcio, no entanto, não trata do isolamento das pessoas devido às novas tecnologias.

*Uma vez instalada a extensão InVid-WeVerify no navegador Chrome, clica-se com o botão direito sobre a imagem e o menu que aparece oferece a possibilidade de pesquisa da mesma em vários buscadores.