Esse vídeo mostra um helicóptero combatendo, e não provocando um incêndio florestal

Copyright © AFP 2017-2022. Todos os direitos reservados.

Os bombeiros em algumas ocasiões optam pela técnica de combater fogo com fogo, como mostra um vídeo de um helicóptero que lança material incandescente enquanto sobrevoa um bosque em chamas. Em julho de 2022, durante uma onda de calor que provocou graves incêndios na Europa, a gravação foi amplamente compartilhada em publicações que dizem o contrário: que a aeronave estava causando o incêndio. A AFP contactou o piloto do helicóptero, que confirmou que, na realidade, estava combatendo um incêndio no Canadá, em 2018. 

“HELICÓPTERO É FLAGRADO COLOCANDO FOGO NA FLORESTA DA EUROPA. ELES PROVOCAM O CAOS, TUDO PARA A IMPLANTAÇÃO DA NOVA ORDEM MUNDIAL…”, diz uma das publicações compartilhadas no Facebook (1, 2) e Twitter (1, 2).

Conteúdos similares circulam em espanhol e francês

Captura de tela feita em 25 de julho de 2022 de uma publicação no Facebook ( . / )

As publicações são compartilhadas em meio a uma onda de calor que provocou incêndios no oeste da Europa, vários ainda ativos, que levaram à morte de centenas de pessoas. Em 2022, a superfície queimada por incêndios florestais na União Europeia já superou o total de todo ano de 2021. 

Mesmo que à primeira vista possa parecer que o helicóptero do vídeo é o causador do incêndio, ele fazia justamente o contrário, como descobriu a AFP em 2019, quando o vídeo viralizou vinculado a incêndios na Amazônia. 

Uma busca reversa na ferramenta TinEye por capturas de tela da gravação levou a uma publicação em francês que explica que o helicóptero executava um método conhecido entre os bombeiros como “back burn” ou "backfire", “para conter o fogo” que se produzia “na Califórnia”

Outra busca, desta vez no Facebook, com a ferramenta Who Posted What levou a uma publicação de 22 de agosto de 2018, de uma empresa privada de helicópteros chamada “Arduini Helicopters”, que opera na província Columbia Britânica, no oeste do Canadá. A postagem mostra o mesmo vídeo, junto com o texto “Ocupados novamente este ano na luta contra os incêndios. Nesta ocasião, combatendo fogo com fogo!”.

Contato com o piloto 

Dentre os comentários, um usuário chamado Tom Arduini parabeniza uma pessoa chamada Paul Buxton-Carr “por essa gravação impressionante”. Um dia depois, a mesma empresa reiterou os parabéns. 

Contactado pela equipe da AFP, Tom Arduini confirmou a origem da gravação: “Nesse vídeo efetivamente se vê um helicóptero da minha empresa, pilotado por mim, para combater um incêndio aqui na Columbia Britânica em agosto” de 2018. 

“O que fazemos no vídeo é tentar controlar o fogo com fogo. Se faz um corta fogo, uma zona livre de combustível, bem diante do incêndio, então usamos meu helicóptero e a tocha de gotejamento para levar o incêndio ao cortafogo”, explicou o piloto. 

“Se observar bem, se vê outros helicópteros jogando água do outro lado do corta fogo para proteger a área que não está queimando. Isso faz com que o fogo fique mais controlado”, acrescentou Arduini em mensagem enviada à AFP. 

Contato com o autor do vídeo 

Paul Buxton-Carr foi entrevistado por veículos como o The New York Times e CBS como sendo piloto da Columbia Britânica e recebeu uma condecoração do governo desta província por seu trabalho como agente no combate aos incêndios. 

Contactado por e-mail pela AFP, Buxton-Carr confirmou ter gravado as imagens “em 21 de agosto de 2018 durante operações para combater o incêndio no complexo Baezaeko, poucos quilômetros ao sudoeste de Quesnel, na Colúmbia Britânica”.

Um helicóptero de segurança civil sobrevoa um incêndio florestal em Montes de Arrée, Bretanha francesa, em 20 de julho de 2022 ( AFP / Loïc Venance)

   

Controlar o fogo com fogo

Bombeiros de várias partes do mundo recorrem a criação das chamadas “linhas de fogo” quando “o calor e a fumaça impedem o trabalho do pessoal, se o terreno é de topografia abrupta, se a vegetação é densa, se a propagação é rápida, se há emissão de faíscas, se a frente é muito ampla, e se o incêndio é nas copas. No geral, quando não é possível o ataque direto”, descreve a Corporação Nacional de Florestas do Chile (Conaf). 

Essa técnica permite, segundo detalha a mesma Conaf, um combate mais seguro e mais duradouro dos incêndios, mas traz como desvantagem o sacrifício da vegetação. 

“O contra fogo é utilizado para queimar a vegetação em zonas mais amplas e criar um fogo que consiga avançar contra o incêndio, queimando o combustível na trajetória que, por seu comportamento, leva ao incêndio. Quando os dois fogos se encontram o incêndio se extingue por falta de vegetação combustível. É um recurso extremo, dada a probabilidade de não ser manejável, o que pode complicar a situação”, explica o organismo.