Cantora Daniela Mercury disse que o músico Renato Russo, e não Jesus Cristo, era “muito gay”

Copyright © AFP 2017-2022. Todos os direitos reservados.

Uma sequência na qual a cantora Daniela Mercury supostamente diz que “Jesus Cristo era gay, gay, muito gay” foi compartilhada mais de 2.500 vezes nas redes sociais desde, pelo menos, 9 de abril de 2022. Mas o conteúdo é uma montagem. No vídeo completo, é possível ver que a cantora se referia a Renato Russo, vocalista da banda Legião Urbana, e não a Jesus Cristo. Durante o Festival de Inverno de Garanhuns (FIG) em 2018 Mercury, na verdade, se manifestou a respeito do cancelamento da apresentação de uma peça na qual Jesus era interpretado pela atriz transexual Renata Carvalho.

“Com muito ódio: Daniela Mercury ataca Jesus Cristo e em show dispara: ‘Jesus era bicha, gay, muito gay’”, diz uma das publicações compartilhadas no Facebook, Twitter, Instagram e TikTok

No vídeo de 19 segundos, a cantora Daniela Mercury diz: “Tá chato pra caralho esse país, que merda. Ela é Jesus Cristo sim. Era gay, gay, muito gay, muito bicha, muito viado, sim”.

Captura de tela feita em 11 de abril de 2022 de uma publicação no Facebook ( . / )

Nas imagens compartilhadas é possível ver 2 logotipos com as palavras-chave “TV Nova” e “exclusivo N2”. Uma busca no Google por esses termos junto ao nome da cantora trouxe como resultado uma versão mais longa da sequência viral, publicada pela emissora TV Nova, de Olinda, Pernambuco, no Facebook em 22 de julho de 2018. 

“A cantora e compositora baiana Daniela Mercury fez um desabafo no palco do Festival de Inverno de Garanhuns na madrugada deste domingo sobre a proibição por parte da prefeitura da execução de espetáculo teatral com ‘Jesus Trans’ chamado: ‘O EVANGELHO SEGUNDO JESUS CRISTO,RAINHA DO CÉU’”, diz a legenda da publicação.

Na filmagem sem cortes, é possível perceber que o vídeo viralizado junta diferentes momentos da fala da cantora para fazer parecer que Daniela disse que Jesus Cristo era “muito gay”.

Na verdade, a cantora começa o vídeo afirmando que algo que a choca é que políticos do país censurem uma peça de teatro, em referência ao espetáculo “O Evangelho segundo Jesus, Rainha do Céu”. Depois, ela cita a atriz transexual Renata Carvalho, que interpretava Jesus Cristo na obra.

Aos 3 minutos e 22 segundos, Daniela Mercury diz: “Ela é Jesus Cristo sim!”, referindo-se a Renata Carvalho. “Jesus Cristo, eu estou aqui, eu sou gay, eu sou lésbica, e daí?”, continua a cantora.

Em seguida, Daniela Mercury pede para que toquem a música “Tempo Perdido” da banda Legião Urbana, cujo vocalista - Renato Russo - faleceu em 1996, e diz: “Tá chato pra caralho esse país, que merda”

A cantora, então, começa a cantar “Tempo Perdido”. “Meu amigo Renato Russo [canta outro trecho] era gay, gay, muito gay, muito bicha, muito viado sim”, diz Mercury a partir dos 4 minutos e 28 segundos do vídeo.

Em julho de 2018, foi realizada a 28ª edição do Festival de Inverno de Garanhuns (FIG), que ocorre anualmente no município pernambucano. Naquele ano, a programação incluía inicialmente a apresentação da peça “O Evangelho segundo Jesus, Rainha do Céu”. Porém, em 30 de junho daquele ano, a Secretaria de Cultura do Estado de Pernambuco emitiu uma nota informando que a apresentação da obra seria cancelada “diante da polêmica causada pela atração e da possibilidade de prejuízos das parcerias estratégicas e nobres que o viabilizam”. A exibição da peça no festival chegou a gerar uma disputa judicial.

O protesto de Daniela Mercury pelo cancelamento da peça e sua fala sobre Renato Russo também foram reportados por outros veículos de mídia à época (1, 2). 

Procurada pelo Checamos, a assessoria de Daniela Mercury confirmou, em 11 de abril, que ela estava falando sobre o cantor Renato Russo no trecho viral e negou que a cantora já tenha se referido a Jesus dessa maneira. 

Em suas redes sociais, a cantora também compartilhou notícias que afirmam que ela irá processar o deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, por ter compartilhado o conteúdo editado no Twitter, como mostra uma versão arquivada de seu perfil.

Verificação semelhante também foi feita pelo Estadão Verifica e pelo Fato ou Fake.