Vídeo de 2018 circula como se mostrasse Bolsonaro no aeroporto de Salvador em março de 2022

Copyright © AFP 2017-2022. Todos os direitos reservados.

Uma gravação em que o presidente Jair Bolsonaro aparece em meio a uma multidão no aeroporto de Salvador, chutando um boneco que representaria o ex-mandatário Luiz Inácio Lula da Silva, foi compartilhada mais de 1,2 mil vezes nas redes sociais desde 17 de março de 2022 como se tivesse sido registrada “ontem”. No entanto, a sequência foi filmada em 2018 e publicada por veículos de comunicação e apoiadores do então deputado federal em maio daquele ano. 

“Ontem no Aeroporto de Salvador. O Mito deu uma bicuda no boneco do ladrão de 9 dedos. Veja a reação do povão. Fechados com Bolsonaro 2022”, diz uma das publicações compartilhadas no Facebook (1, 2) e no Twitter (1, 2).

Captura de tela feita em 22 de março de 2022 de uma publicação no Facebook

O vídeo em que Bolsonaro aparece em meio a uma multidão de apoiadores começou a circular nas redes logo após a sua viagem à Bahia, no último dia 16 de março, para cumprir uma agenda institucional.

Nas imagens, o presidente é visto chutando um “pixuleco” - nome dado ao boneco do ex-presidente Lula vestido de presidiário - sob aplausos e gritos de “mito”

Mas, ao contrário do que afirmam as publicações viralizadas, a gravação não corresponde a essa viagem. 

Uma busca reversa pelos fotogramas do vídeo viralizado levou à mesma sequência, publicada em 24 de maio de 2018 no YouTube (1, 2) e em sites (1, 2).

Eduardo Bolsonaro, filho do presidente, publicou o registro nesse mesmo dia em sua conta no Twitter: 

Uma pesquisa no Google pelos termos “Bolsonaro”, “aeroporto”, “Salvador” e “pixuleco” levou a um outro vídeo, feito no mesmo dia e publicado no perfil de Jair Bolsonaro no Facebook com a mensagem:  “- Obrigado Salvador. - Um abraço Bahia. - O Nordeste é Brasil”.

A gravação agora viralizada foi feita pouco menos de dois meses antes da oficialização da candidatura de Bolsonaro à Presidência da República pelo PSL. 

O conteúdo também foi checado pela Agência Lupa e pelo Aos Fatos