Alexandre Garcia negou a autoria do texto que diz que Bolsonaro é “humilhado pela mídia”

Copyright © AFP 2017-2023. Todos os direitos reservados.

“Eu não peço desculpas pelo que estou postando, pois é realmente assim como me sinto”, começa o texto, atribuído a Alexandre Garcia, compartilhado mais de 112 mil vezes nas redes sociais desde meados de março de 2019 e que continua circulando em 2021. Ao longo do artigo, o jornalista indicaria que em toda a sua vida nunca um presidente foi tão “humilhado pela mídia até a desgraça, caluniado, ridicularizado, insultado” quanto o atual mandatário Jair Bolsonaro. No entanto, Garcia negou ser o autor de tal texto em mais de uma ocasião.

“Já sobrevivi a 08 eleições presidenciais no Brasil antes de nosso atual presidente Bolsonaro. Em toda a minha vida, nunca vi ou ouvi falar de um presidente sendo examinado sobre cada palavra que ele fala, humilhado pela mídia até a desgraça, caluniado, ridicularizado, insultado, ameaçado de morte, ter por alguns tentado denegrir a imagem de nossa Primeira Dama, e ter seus filhos também insultados e humilhados. Estou verdadeiramente envergonhado da mídia do meu país”, diz um trecho do texto compartilhado no Facebook ao longo de 2019 (1, 2, 3), 2020 (1, 2) e 2021 (1, 2).

A alegação circulou igualmente no Instagram (1, 2, 3) e no Twitter (1, 2), e foi enviada ao WhatsApp do AFP Checamos para verificação.

Captura de tela feita em 11 de junho de 2021 de uma publicação no Facebook

Ao final do texto, Alexandre Garcia supostamente teria escrito: “Não canso de repetir, se você está num avião e não gosta do piloto, você não torce pra ele cair, torce? ENTÃO FAÇA-ME O FAVOR!!! [...] Você pode não gostar do presidente, mas torcer contra sua pátria, contra seu povo e contra você mesmo é muita canalhice. Se concorda comigo, passe para a sua rede de contatos. Se não concorda, finja que não leu, pois, como disse acima, não vou responder a ninguém”.

Uma pesquisa no Google pela frase “Já sobrevivi a 08 eleições presidenciais no Brasil antes de nosso atual presidente Bolsonaro” levou a uma matéria publicada pelo Correio Braziliense em 2 de abril de 2019 mencionando que o jornalista havia desmentido ser autor do texto viralizado nas redes.

De fato, em um vídeo publicado em seu canal no YouTube em 1º de abril de 2019 Garcia diz: “Eu sou vítima de fake news, toda hora usam meu nome. Agora mesmo estão usando meu nome em um artigo que começa… o artigo começa dizendo ‘Eu não peço desculpas pelo que estou postando’. Este artigo não é meu. Está mal escrito e é feito por um covarde que não teve coragem de assinar o próprio nome”.

Uma busca nas redes sociais do jornalista mostra que alguns dias antes ele já havia se manifestado sobre o texto e a atribuição da autoria, como se pode observar em suas páginas no Facebook e no Twitter.

Usando a ferramenta CrowdTangle, pesquisando pela primeira frase do texto viral e selecionando as postagens mais antigas pode-se chegar a uma publicação de 13 de janeiro de 2019 que não faz qualquer menção a Alexandre Garcia ou a outro autor.

Conteúdo semelhante foi checado pelas equipes do Boatos.org, da Agência Lupa e do Estadão Verifica.