Não, Trump não deu um tapa na cara de um político comunista mexicano

Copyright © AFP 2017-2021. Todos os direitos reservados.

Publicações nas redes sociais mostram o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, dando um tapa na cara de um homem durante um evento e afirmam que o mesmo agrediu um político comunista do México por este tê-lo ridicularizado. A versão está fora de contexto.

“Um governador comunista de uma cidade do México tentou fazer gracinha com Donald Trump, levou um tapa na cara bem dado e ficou com ele. O mal tem que ser combatido assim, sem piedade. Parabéns, Presidente Donald Trump”, diz a descrição de um vídeo assistido mais de 6 milhões de vezes no Facebook. Uma usuária comenta: “Que falta de respeito com o presidente! Um governador se comportar assim? Pense na moral do Trump!”.

No entanto, as imagens são apresentadas fora de seu contexto original e deturpam a recepção da informação. Na verdade, o vídeo foi feito na Torre Trump em Nova York no dia 28 de março de 2007, 10 anos antes de Trump assumir a presidência dos Estados Unidos.

Antes de ocupar a Casa Branca, Trump, do Partido Republicano, foi uma figura muito conhecida na indústria da luta livre. As cenas mostradas no vídeo não passam de uma montagem para patrocinar o evento “Batalha dos Milionários”, prática de marketing comum no ramo.

O tapa dramatizado não foi em nenhum "governador comunista" mexicano, mas em Vince McMahon, um conhecido promotor de lutas. O fato de o mesmo ser fisicamente semelhante a Miguel Ángel Mancera, do Partido da Revolução Democrática (PRD), ex prefeito da Cidade do México e atualmente senador, pode ter facilitado o mal-entendido.

Comparação de capturas de vídeos do episódio original com os rostos de Vince McMahon e de Miguel Ángel Mancera, prefeito da Cidade do México

Portanto, as imagens não mostram uma agressão por parte de Trump por ter sido alvo de deboche. Quem levou o tapa encenado não foi um governador mexicano e o episódio ocorreu uma década antes de o político conservador eleger-se presidente.

Esta não foi a única vez que Trump e McMahon fingiram se agredir. Em diversas ocasiões os mesmos simularam brigas (1) (2) e desentendimentos para promover eventos do conhecido evento americano de luta livre, “Wrestlemania”.

EDIT 21/11: Correção do atual cargo do político mexicano Miguel Ángel Mancera

AFP Brasil