Não, as imagens foram gravadas em um clube de tiro nos Estados Unidos

Um vídeo, visualizado mais de 115 mil vezes no Twitter desde 10 de outubro, tem sido compartilhado como se mostrasse o “avanço turco contra posições curdas no norte da Síria”. No entanto, as imagens foram gravadas durante uma demonstração de armas de fogo organizada duas vezes por ano em Kentucky, nos Estados Unidos.

Captura de tela feita em 11 de outubro de 2019 mostra publicação no Twitter

“Parece cena saída de filme mas não é! Trata-se do avanço turco contra posições curdas no norte da Síria. P/ [para] não perderem tanques como os muitos que já perderam, disparam contra tudo o que se mexe. Estão evitando as cidades e aldeias, mas os civis one [sic] inevitavelmente sofrerão”, diz publicação no Twitter, curtida mais de 570 vezes desde 10 de outubro.

O tuíte em português cita uma publicação feita por Djordje Kuzmanovic, ex-conselheiro de geopolítica do político francês Jean-Luc Mélenchon.

O vídeo, de 30 segundos e baixa qualidade, mostra prolongados tiros seguidos por uma série de explosões.

Uma pesquisa reversa no motor de busca russo Yandex mostra que o mesmo vídeo foi publicado no YouTube em janeiro de 2018, com a indicação de que as imagens foram feitas durante combates na região de Afrin, no noroeste da Síria.

Na época, a Turquia havia lançado nesta região uma ofensiva terrestre e aérea batizada de “Ramo de oliveira” para combater a milícia curda das Unidades de Proteção Popular (YPG).

Captura de tela do vídeo publicado no Twitter feita em 10 de outubro de 2019

No entanto, um detalhe - visível após clarear o vídeo - parece indicar que não se trata de uma gravação feita em um cenário de guerra: a presença, aos 20 segundos, de diversas pessoas que aparentam gravar a cena com celulares, no canto direito da imagem.  

O site turco de fact-checking Teyit, que verificou o mesmo vídeo, identificou em seu artigo uma gravação semelhante à viralizada gravada durante um espetáculo de tiros em Kentucky, nos Estados Unidos.

Contatado pela AFP, um responsável pelo Knob Creek Gun Range, um grande clube de tiro ao ar livre localizado perto da cidade norte-americana de West Point, confirmou que o vídeo foi gravado durante um evento que eles organizam duas vezes por ano - sem, entretanto, conseguir precisar a data da gravação.

“Com certeza, trata-se do espetáculo noturno de tiros que nós organizamos durante nossa feira de armas”, afirmou Keri Summer, filha do proprietário do Knob Creek Gun Range e responsável pelas redes sociais da empresa.

Imagem enviada por Keri Summer

Para demonstrar que a gravação realmente foi feita no clube de tiro, Keri Summer enviou à AFP uma captura de tela do vídeo com algumas anotações. 

À direita, Keri identificou “espectadores atrás de uma barreira” e tendas de atiradores de “MGS” (“Machine Gun Shoot”). À esquerda, um atirador, de costas. 

Uma fotografia feita por um jornalista da AFP, durante uma reportagem sobre este encontro em abril de 2019, mostra com maior nitidez a configuração habitual do local com, notavelmente, as duas tendas e os espectadores de celulares em mão.  

Espetáculo de tiros do Knob Creek Machine Gun Shoot em 12 de abril de 2019

A encosta vista à esquerda na foto acima também pode ser identificada em uma captura de tela do vídeo viralizado: 

Captura de tela do vídeo publicado no Twitter feita em 10 de outubro de 2019

A equipe de checagem da AFP também pôde rastrear a origem da gravação agora viralizada. O vídeo foi publicado pela primeira vez em 9 de abril de 2017 por uma página norte-americana dedicada a armas de fogo no Facebook. O autor da publicação deixa claro na legenda que o vídeo foi feito em um espetáculo de tiros do Knob Creek Gun Range.

A mesma cena foi, além disso, gravada de outro ângulo e compartilhada no Twitter em abril de 2017.

Apesar do vídeo viralizado no Twitter não mostrar o “avanço turco contra posições curdas no norte da Síria”, a Turquia realmente conduziu um ataque na última quarta-feira, 9 de outubro, no nordeste sírio, visando a principal milícia curda do país, as Unidades de Proteção Popular (YPG).

Desde então, ao menos 29 combatentes de forças curdas e 10 civis foram mortos por ataques aéreos ou disparos da artilharia do Exército turco, de acordo com o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

Em resumo, é falso que o vídeo viralizado no Twitter mostre um ataque turco contra posições curdas na Síria. O vídeo foi feito durante um espetáculo de tiros em Kentucky, nos Estados Unidos.