Não, este tubarão com restos humanos em sua barriga não foi encontrado em uma praia do Rio de Janeiro

Uma matéria publicada em 15 de janeiro de 2019 afirma que o tubarão mostrado na fotografia, que dizem ser “branco”, foi capturado morto em uma praia do Rio de Janeiro e que restos humanos foram achados em sua barriga. Contudo, as imagens se referem a um ataque ocorrido nas Bahamas em 2010.

“Imagens chocantes compartilhadas por internautas mostram cenas que só costumamos ver em filmes de terror. Um tubarão da espécie ‘Branco’ foi capturado morto em uma praia no Rio, que, segundo a descrição das imagens, o local é identificado como sendo a Barra de Guaratiba, bairro litorâneo na zona oeste no estado do Rio de Janeiro”, diz o início da notícia.

A equipe de checagem da AFP no Brasil verificou por meio da busca reversa de imagem que essas fotografias têm seu primeiro registro em 7 de setembro de 2010.

Captura de tela feita em 7 de maio de 2019 mostra o tubarão encontrado nas Bahamas com os restos humanos em sua barriga e que data de 7 de setembro de 2010

Elas se referem ao caso de um tubarão que abocanhou uma pessoa e cujo fato repercutiu em vários sites (1, 2, 3, 4). Aparentemente, o homem desapareceu no final de agosto e o tubarão foi encontrado no início de setembro.

Segundo uma matéria da CBS News, de 15 de setembro de 2010, um velejador que desapareceu na “Jaws Beach” - onde foi parcialmente filmado “Tubarão IV - A Vingança” - teve seus restos mortais encontrados na barriga do tubarão. Esta praia está localizada na ilha New Providence, nas Bahamas, onde também fica a capital Nassau.

Ainda de acordo com as notícias, 10 dias antes um banqueiro capturou o tubarão-tigre de 12 pés (cerca de 3,6 metros) durante uma viagem de pesca e disse que uma perna esquerda saiu da boca do animal quando estavam transportando-o. Assim que os oficiais da força de defesa da ilha abriram o tubarão encontraram a perna direita, dois braços e um tronco decepados.

Em 17 de setembro de 2010, o site de notícias Business Insider também publicou uma matéria sobre o caso, juntamente com algumas fotografias. Um link para um um segundo site foi colocado no texto e avisos de “imagens gráficas” aparecem devido ao teor das fotos.

Em suma, este caso do tubarão que comeu uma pessoa realmente aconteceu, mas há nove anos e nas Bahamas, não este ano e no Rio de Janeiro. Além disso, trata-se de um tubarão-tigre, não de um tubarão-branco, como também havia sido afirmado erroneamente pela matéria.

AFP Brasil