Lula estava imitando críticos do Bolsa Família e não falando mal do programa em vídeo

Copyright © AFP 2017-2021. Todos os direitos reservados.

Uma gravação em que o ex-presidente Lula parece revelar o que realmente pensa sobre o programa Bolsa Família foi compartilhada mais de 116 mil vezes desde meados de abril de 2021. Mas o vídeo é composto por duas sequências diferentes: na primeira, ele reproduz o que os críticos do Bolsa Família falavam sobre o programa, enquanto na segunda ele aborda a questão da distribuição de cestas básicas como forma de comprar votos.

“Lula na cara de pau” e “Por isso eu n gosto do PT”, são as frases vistas em algumas gravações compartilhadas, acompanhadas por legendas como “você pobre que pensa que o PT quer te ajudar” e “assim pensa e age o PT…”.

Visualizado mais de 844 mil vezes no Facebook (1, 2, 3) e no Twitter, o vídeo mostra, inicialmente, o ex-presidente Lula (2003-2010) de pé, dizendo: “O Bolsa Família é uma esmola. O Bolsa Família é pra deixar as pessoas preguiçosas, porque quem recebe Bolsa Família não quer mais trabalhar”.

Depois, Lula é visto sentado, no que parece ser uma entrevista, na qual afirma: “Pelo alto grau de empobrecimento, ela é conduzida a pensar pelo estômago e não pela cabeça. É por isso que se distribui tanta cesta básica. É por isso que se distribui tanto tíquete de leite. Porque isso, na verdade, é uma peça de troca em época de eleição. E assim você despolitiza o processo eleitoral. Você trata o povo mais pobre da mesma forma que Cabral tratou os índios quando chegou no Brasil, tentando distribuir bijuterias, espelhos, para ganhar os índios. Eles distribuem alimentos. Você tem como lógica manter a política de dominação, que é secular no Brasil”.

Captura de tela feita em 11 de maio de 2021 de uma publicação no Facebook

Discurso em Belo Horizonte

Procurando por publicações semelhantes, a equipe do AFP Checamos encontrou um vídeo publicado no Facebook em que é possível ouvir uma voz que fornece mais detalhes sobre o contexto: “Numa cerimônia em Belo Horizonte o presidente Lula condenou os críticos do Bolsa Família”.

A seguir, Lula diz: “Alguns dizem assim” e dá início ao trecho viralizado nas redes.

Uma pesquisa no Google pelos termos “Bolsa Família + esmola + Lula” levou a matérias publicadas pela mídia (1, 2) que assinalam que o então presidente havia participado em 31 de julho de 2009 da “primeira formatura em curso de qualificação profissional de beneficiados pelo Bolsa Família”.

Uma pesquisa na Biblioteca da Presidência da República pelas viagens feitas por Lula durante o segundo mandato, especificamente no ano de 2009, mostra que ele participou da cerimônia das turmas do Plano Setorial de Qualificação e Inserção Profissional para o Bolsa Família (PlanSeq BF) em Belo Horizonte.

Na mesma seção do site da Presidência foi possível encontrar, igualmente, o discurso proferido por Lula no evento e o trecho viralizado que, na verdade, foi editado.

Gravação de 2000

A segunda parte do vídeo viral, que mostra Lula durante uma entrevista, omite alguns detalhes que podem ser observados em outras sequências mais longas (1, 2), também encontradas em buscas por gravações semelhantes por meio da plataforma CrowdTangle.

Nelas é indicado que a mesma foi feita no ano 2000, quando sequer era candidato ao cargo de chefe de Estado.

Captura de tela feita em 11 de maio de 2021 de uma publicação no Facebook

Nesse caso, Lula não se referia ao programa Bolsa Família, criado em 2003, quando já estava na Presidência, mas à distribuição de cestas básicas (composta por alimentos em quantidades necessárias para garantir a saúde de um trabalhador em idade adulta) por políticos em troca de votos.

Diferentemente da distribuição dessas cestas, o Bolsa Família é um complemento de renda, pois todos os meses as famílias atendidas pelo programa recebem um benefício em dinheiro, transferido pelo governo federal.

Para fazer parte do programa há algumas condições que devem ser seguidas, enquanto o tipo e a quantidade de benefícios recebidos por cada família irá depender de sua composição - número de pessoas, idades, presença de gestantes - e de sua renda.

Um conteúdo semelhante foi verificado pelas equipes da Agência Lupa e do Aos Fatos.