Imagem do Masp usada para provar que foto do ato contra Bolsonaro não é atual é ainda mais antiga

Copyright © AFP 2017-2021. Todos os direitos reservados.

Publicações que supostamente provam que eram antigas as fotos da Avenida Paulista atribuídas nas redes ao ato realizado no último dia 29 de maio contra o presidente Jair Bolsonaro foram compartilhadas mais de de 6,9 mil vezes em redes sociais. As postagens se baseiam em uma foto que mostraria como o Museu de Arte de São Paulo (Masp) foi “pintado recentemente”. Esse registro é, no entanto, anterior a 2012, quando foi finalizada a obra de um edifício ao lado do museu.

“Pra variar a esquerda mente em tudo. Estão usando fotos e vídeos antigos da Paulista pra enganar . Pra verificar o Masp foi pintado recentemente. Conforme mostra imagens: antigas x atuais”, diz o texto que acompanha uma combinação de fotos, compartilhada no Facebook (1, 2, 3), no Twitter (1, 2, 3) e no Instagram (1, 2).

Uma das fotografias mostra a Avenida Paulista lotada durante uma manifestação, e na qual o lado de fora do Masp parece estar em obras, e a outra, do mesmo local, mas vazio, na qual a parte externa está restaurada.

Captura de tela feita em 2 de junho de 2021 de uma publicação no Twitter

Masp atualmente e recém pintado?

Uma busca reversa no Google Imagens pela foto do Museu de Arte de São Paulo “pintado recentemente” levou a um artigo em inglês no site Morocco World News de abril de 2018.

A partir dessa fotografia, com melhor definição, foi feita uma segunda pesquisa pela imagem no buscador Bing, que mostrou como resultado um texto de dezembro de 2014 no portal Xadrez Verbal.

Uma análise da imagem permite observar alguns elementos ao redor do museu, principalmente um prédio em construção na rua lateral do edifício.

Captura de tela feita em 2 de junho de 2021 no site Xadrez Verbal

Usando a opção “street view” do Google Maps e escolhendo a opção de vista mais antiga disponível - janeiro de 2010 - pode-se observar que nesse período o prédio visto ao lado do Masp, de fato, estava em construção. 

Uma pesquisa pelos termos “foto aérea + Masp + 2010” levou a uma fotografia publicada no banco de imagens da Folha de S.Paulo em maio de 2010 cuja legenda: “A construtora Gafisa interrompeu as obras do Paulista Corporate, empreendimento imobiliário comercial que estava sendo erguido onde hoje funciona um estacionamento, ao lado do Masp, na avenida Paulista”.

Uma busca pelas palavras-chave “Paulista Corporate + construção” levou a artigos (1, 2) sobre o tema, indicando que a obra, iniciada em 2009, foi finalizada em 2012, o que impede que a foto do Masp “pintado recentemente” seja atual.

Ao Checamos, a assessoria de imprensa do Masp informou que “a repintura total dos pilares e vigas foi realizada em 2016 e desde então são realizados apenas reparos pontuais”.

Imagens registradas pela AFP (1, 2) e outras agências (1) nos protestos realizados no último dia 29 de maio contra o presidente Jair Bolsonaro e sua gestão da pandemia de covid-19 mostram como está o museu atualmente.

Manifestação de 2016

A fotografia que supostamente está sendo compartilhada pela esquerda para provar que os protestos de 29 de maio de 2021 estavam cheios também é antiga: data de março de 2016.

Uma pesquisa no Google pelo título da matéria visto nas publicações viralizadas - “Atos em defesa do governo mostram força e poupam ajustes do PT” - levou ao texto publicado no site Esquerda Diário em 18 de março de 2016. 

Uma busca reversa pela foto que ilustra o texto do site Esquerda Diário leva a publicações feitas na página oficial de Lula no Facebook, com o crédito para Paulo Pinto da Agência PT, e na conta do Partido dos Trabalhadores (PT) no Twitter em 18 de março de 2016.

Nessa data, milhares de pessoas se manifestaram em várias cidades, entre elas São Paulo, em apoio à então presidente Dilma Rousseff e a Lula. “Não ao golpe!”, bradavam os presentes, em alusão ao processo de impeachment de Dilma, que já era discutido no Congresso.

Esta imagem foi verificada pela AFP em uma outra checagem sobre os atos de 29 de maio de 2021.