Foto de caminhões carregando caixões realmente foi tirada na Itália em meio à pandemia do novo coronavírus

Copyright AFP 2017-2020. All rights reserved.

Uma fotografia compartilhada mais de 16 mil vezes no Facebook desde o último dia 18 de março tem sido acompanhada por legendas que afirmam que esta foi registrada em Bérgamo, na Itália, e que os caminhões estão transportando caixões de pessoas que faleceram devido ao novo coronavírus. As postagens indicam, ainda, que os corpos estão sendo levados para o processo crematório, já que o necrotério e o cemitério da cidade não estão conseguindo atender a demanda pela quantidade de corpos. Colocada em dúvida por usuários no Facebook, a imagem e seu contexto são verdadeiros.

“Tragédia na Itália. O Covid-19 está devastando a Itália. A foto abaixo é da cidade de Bergamo. Uma coluna de caminhões militares está carregando os corpos para cremação. Os corpos são cremados sem a extrema unção e os familiares não podem se despedir de seus entes queridos. Muito triste.(Fonte: Jornal La Repubblica) [sic], diz uma das publicações, compartilhada 5.400 vezes no Facebook.

Além desta, há outras postagens (1, 2, 3, 4) viralizadas que, juntas, somam mais de 16 mil compartilhamentos em apenas um dia.

A mesma alegação circulou em espanhol e foi compartilhada mais de 18 mil vezes.

Alguns usuários, no entanto, questionaram a veracidade da imagem: “Não desconsiderando a existência do vírus (inclusive, existe há décadas) e os riscos, acho que isso aí tá mais pra força tarefa”, “Então. Até parece q a Itália só tem um hospital né. Pra enfileirar os caminhões assim em um só lugar. Tá certo que está morrendo muita gente. Mas essa foto junto a esse contexto é Fake [sic], “Essa página apela nos fakenews , aff [sic] e “Denuncia aí povo, notícia falsa”, foram alguns dos comentários.

Fotografia tirada na Itália?

Por meio de uma busca reversa* pela imagem viralizada, a equipe de checagem da AFP no Brasil chegou a uma matéria publicada pelo jornal britânico The Telegraph intitulada “A Itália em choque enquanto 475 pessoas morreram de coronavírus em um dia e taxa de mortalidade se aproxima à da China”, em tradução livre. Dentre as fotos do artigo, estava a dos caminhões com crédito à European Pressphoto Agency (EPA).

No site da EPA, por sua vez, uma pesquisa com as palavras-chave “Bergamo Italy” levou às fotografias publicadas pela agência, entre elas a dos caminhões enfileirados, cuja legenda é: “Impressionante coluna de veículos militares atravessou o coração de Bérgamo esta noite, do monumental cemitério até à estrada, com caixões de falecidos pelo coronavírus que o cemitério de Bérgamo já não consegue gerir devido ao aumento [...] EPA-EFE/FABIO CONTI”.

Captura de tela feita em 19 de março de 2020 no site da agência EPA

Algumas publicações nas redes sociais mencionaram que a foto dos caminhões havia sido publicada no Twitter pelo correspondente da CNN na Itália Tancredi Palmeri. De fato, o jornalista postou uma imagem muito semelhante à da EPA e à foto viralizada.

Outros usuários citavam o jornal italiano La Reppublica como fonte da imagem. Além da publicação no site, a página no Facebook replicou a fotografia dos caminhões com esta legenda: “Já não há lugar e a cidade de Bérgamo é obrigada a enviar os corpos para cremação fora da região”.

Abaixo, há uma comparação das imagens publicadas pela agência EPA, pelo correspondente da CNN e pelo jornal italiano La Reppublica que mostram como todas as elas foram tiradas no mesmo momento.

Combinação de fotos feita em 19 de março de 2020 mostra fotos da agência EPA (E), do correspondente da CNN (C) e do jornal La Reppublica

O ex-ministro do Interior e atual senador Matteo Salvini publicou em seu perfil no Instagram uma foto similar às anteriores mostrando a fileira de caminhões com esta legenda, em tradução livre: “O Exército tira os caixões de Bérgamo para cremação na Lombardia, uma terra posta à prova, que luta incansavelmente contra o mal. É uma imagem comovente, que atinge com a força de cem, mil socos. Quem crê, se reúne em oração antes de adormecer. Aqueles que não acreditam idealmente, se apegam a esses irmãos e irmãs, a uma comunidade devastada, que hoje chora além da medida, que quer ressuscitar, que precisa do abraço e do apoio emocional de todos os italianos”.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

L’Esercito porta le bare fuori da Bergamo, per la cremazione fuori dalla Lombardia, una terra messa a prova durissima, che lotta senza tregua contro il male. È un’immagine straziante, che colpisce con la forza di cento, mille pugni. Chi crede, si raccolga in preghiera prima di addormentarsi. Chi non crede, si stringa idealmente a questi nostri fratelli e sorelle, a una comunità devastata, che oggi piange oltre ogni misura, che vuole risorgere, che ha bisogno dell’abbraccio commosso e del sostegno di tutti gli Italiani.

Uma publicação compartilhada por Matteo Salvini (@matteosalviniofficial) em

Em 19 de março, o número mundial de infectados se situava em mais de 235 mil e os mortos, em cerca de 9 mil, segundo o mapa de monitoramento em tempo real do novo coronavírus, desenvolvido pelo Centro de Ciência de Sistemas e Engenharia da Universidade Johns Hopkins.

Neste mesmo 19 de março, a Itália (3.405) superou a China (3.245) em número de mortes pela COVID-19, com 427 novos falecimentos em 24 horas, como foi reportado pela AFP.

Funcionária usa equipamento de proteção no Hospital Poliambulanza de Bréscia, na Itália, em 17 de março de 2020

A pandemia do novo coronavírus começou em dezembro de 2019 na cidade chinesa de Wuhan. No último 11 de março, o diretor da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, classificou a situação como uma “pandemia” e denunciou os “níveis alarmantes de propagação e inação”.

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, também se manifestou neste sentido, afirmando que milhões de pessoas podem morrer por causa do novo coronavírus, principalmente em países pobres, caso se permita a sua propagação sem controle.

Em resumo, apesar da dúvida manifestada por alguns usuários, a imagem que mostra uma série de caminhões enfileirados realmente foi feita em Bérgamo, na Itália, em meio à pandemia do novo coronavírus. O necrotério da cidade não tem dado conta da quantidade de mortos e, por isso, corpos estavam sendo levados em caixões para a cremação.

*Uma vez instalada a extensão InVid & WeVerify no navegador Chrome, clica-se com o botão direito sobre a imagem e o menu que aparece oferece a possibilidade de pesquisa da mesma em vários buscadores.

EDIT 20/03: Acrescenta publicação no Instagram do ex-ministro do Interior da Itália Matteo Salvini
AFP Brasil