Esta foto do metrô de São Paulo lotado foi tirada em 2015

Uma fotografia compartilhada milhares de vezes nas redes sociais desde o último dia 14 de maio mostra uma plataforma de metrô lotada, com as pessoas tentando entrar nos vagões. As legendas que acompanham as publicações fazem referência - direta ou indireta - ao governador de São Paulo, João Doria, e a uma decisão de fazer rodízio de veículos em meio à pandemia de COVID-19 que, segundo relatos, estariam tendo este efeito. Esta imagem, contudo, foi tirada em dezembro de 2015.

“Aí o babaca prende quem está nas praias, prende quem está nos parques, prende quem está sem máscara na rua, prende os comerciantes, faz muita gente passar fome, inventa um rodízio de veículos sem noção e faz isso!!!”, é o texto que acompanha a foto, cujas publicações, juntas, somam mais de 6 mil compartilhamentos no Facebook (1, 2, 3) desde o dia 14 de maio de 2020, por vezes com legendas como “#ForaDoria”.

Captura de tela feita em 15 de maio de 2020 de uma publicação no Facebook

Indignados, muitos usuários criticam igualmente o prefeito da cidade, Bruno Covas: “Esse Dória é um PSICOPATA! quer mais que as pessoas se contaminem para justificar as covas abertas pelo então Prefeito Bruno abre COVAS, e sair como o bom mocinho dessa história !” e “Vocês nao entenderam o ESQUEMA. Faz aglomeração para aumentar o número de casos para ele decretar o Lockdown. Dai eles continuam mamando e gastando/desviando dinheiro público a vontade. #ForaDoria #ForaBrunoCovas #AbreImpeachmentCaue [sic].

Uma busca reversa pela fotografia no Google Imagens e na ferramenta TinEye, filtrada pelos registros mais antigos, mostra como resultado uma publicação da imagem no portal Fotos Públicas, que se identifica como “o site com as melhores fotos de uso gratuito do país e do mundo”.

Com data de 21 de dezembro de 2015, a imagem viralizada aparece junto a uma série de fotos da plataforma do metrô da Sé lotada sob o título “Chuva causa lentidão e deixa plataformas lotadas no metrô de SP”.

A imagem é creditada ao fotógrafo Paulo Pinto, que confirmou a sua autoria ao Checamos.

Comparação de imagens feita em 15 de maio de 2020 com a foto viralizada (esquerda) e a imagem datada de 2015

Com registro on-line de mais de cinco anos antes da detecção do novo coronavírus na cidade chinesa de Wuhan, e das posteriores ações tomadas pelos Governos do estado e Prefeituras no Brasil, a fotografia não tem qualquer relação com o rodízio de veículos implementado pelo prefeito Bruno Covas.

Apesar de muitas publicações atribuírem a ação ao governador João Doria, Covas foi responsável pela decisão, pois ela vale apenas na capital paulista.

Desde então, vários meios de comunicação têm publicado matérias a respeito da lotação dos transportes públicos, inclusive o metrô, que registrou um aumento considerável no número de passageiros, especialmente nas estações onde são feitas as transferências de linhas.

Até 14 de maio de 2020, o número de casos de COVID-19 no Brasil ultrapassava os 200 mil, com quase 14 mil mortes confirmadas. Em São Paulo, estado com maior incidência da doença, há mais de 54 mil infectados pelo novo coronavírus e mais de 4,3 mil falecimentos.

Em resumo, a fotografia que mostra uma plataforma de metrô lotada em São Paulo não foi tirada durante a pandemia do novo coronavírus e após a decisão do rodízio de veículos, como sugerem as publicações viralizadas. A imagem tem seu registro mais antigo encontrado na Internet em 21 de dezembro de 2015, cinco anos antes da detecção da doença na China.

AFP Brasil