É falsa tabela viralizada com ranking de salários mínimos na América do Sul

Copyright © AFP 2017-2022. Todos os direitos reservados.

Uma tabela que compara os supostos salários mínimos de países da América do Sul foi compartilhada milhares de vezes em redes sociais desde meados de outubro. De acordo com os dados, a remuneração brasileira seria a menor da região e a da Argentina, a maior. No entanto, com exceção do salário mínimo do Brasil, todos os valores da tabela estão incorretos. O país sul-americano com a menor remuneração mínima é, na verdade, a Venezuela e a maior é a do Chile.

“No Brazil de Bolsonaro o salário mínimo cresce para baixo igual rabo de cavalo”, diz uma das publicações, compartilhadas mais de 12 mil vezes no Facebook (1, 2, 3) e Twitter, desde o último dia 8 de outubro.

“Vergonha absoluta!”, escreveu outro usuário ao publicar a tabela, segundo a qual a ordem de países com maior salário mínimo da América do Sul seria: Argentina, Venezuela, Equador, Uruguai, Colômbia, Bolívia, Paraguai, Peru, Chile, Suriname, Guiana e Brasil.

Captura de tela feita em 22 de outubro de 2020 de uma publicação no Facebook

Na parte inferior da tabela é indicada a suposta fonte dos dados: “Banco Mundial, outubro 2020”. No entanto, uma busca no site da organização financeira internacional não localiza qualquer levantamento do tipo.

O AFP Checamos consultou fontes oficiais de cada um dos países listados e concluiu que apenas o salário mínimo brasileiro está correto na tabela viralizada. Confira abaixo os valores, convertidos para real em 22 de outubro de 2020, utilizando a ferramenta do Banco Central do Brasil.

Salários mínimos

Longe dos R$ 2.826 mencionados nas redes sociais, o salário mínimo da Argentina é de 18.900 pesos, ou R$ 1.351. Como definido em resolução do Ministério do Trabalho, Emprego e Previdência Social, publicada neste mês de outubro, esse valor irá aumentar gradualmente ao longo dos próximos meses, chegando a 21.600 em março de 2021. Em reais, isso corresponde a R$ 1.544, ainda inferior ao número viralizado.

Em segundo lugar na tabela compartilhada nas redes, com suposta renda mínima de R$ 2.593, a Venezuela possui, na verdade, salário mínimo de 400.0000 bolívares soberanos, ou R$ 4,88, segundo anunciado pelo governo em abril deste ano.

A este valor, é somado um benefício de alimentação obrigatório também de 400.0000 bolívares soberanos, elevando a renda básica a R$ 9,76, ainda muito inferior ao salário listado na tabela.

A remuneração mínima do Equador também não está correta. Como informou o Ministério do Trabalho do país em 27 de dezembro de 2019, o salário mínimo vigente em 2020 é de 400 dólares, ou R$ 2.232, um pouco a menos do que os R$ 2.497 do ranking viralizado.

No caso do Uruguai, o valor verdadeiro é maior do que o mencionado nas redes. Desde 1º de janeiro de 2020, o salário mínimo uruguaio é de 16.300 pesos, o equivalente a R$ 2.130, mais do que os R$ 2.050 listados na tabela.

Na Colômbia, ao invés de R$ 1.977, é paga uma remuneração mínima de 877.802 pesos, ou cerca de R$ 1.293, como informou o Ministério do Trabalho no final de 2019.

Já na Bolívia, o salário mínimo de 2020 é de 2.122 bolivianos, como lista o Instituto Nacional de Estatística do país. Em reais, o valor é equivalente a R$ 1.699, menos do que os R$ 1.905 das redes.

No Paraguai, o valor não foi reajustado em 2020 devido à pandemia de coronavírus, sendo ainda válido o salário mínimo de 2.192.839 guaranis, anunciado em julho de 2019. O valor em reais é equivalente a cerca de R$ 1.733 e não R$ 1.880, como visto na tabela.

Já o salário mínimo do Peru é de 930 soles, ou pouco mais de R$ 1.440, número inferior aos R$ 1.877 citados nas redes. A remuneração atribuída ao Chile também é incorreta: ao invés de R$ 1.733, são pagos 320.500 pesos, que equivalem a cerca de R$ 2.295.

No Suriname, o salário mínimo é estabelecido por hora. Segundo informou o Ministério do Trabalho, Emprego e Juventude em julho de 2019, o valor definido para os dois anos seguintes era de 8,4 dólares do Suriname por hora, ou 1.428 por mês, como afirmou o ministro do Trabalho do país segundo reportado por veículos locais (1, 2). Em reais, isso equivale a pouco mais de R$ 557 e não R$ 1.682.

Na Guiana, o salário mínimo foi fixado em 70.000 dólares da Guiana em novembro de 2019, o equivalente a cerca de R$ 1.856, e não R$ 1.171.

Por fim, o salário mínimo do Brasil em 2020 é realmente de R$ 1.045. Listamos, abaixo, a ordem correta dos países por remuneração mínima vigente este ano, em reais:

Em resumo, é falsa a tabela que compara os salários mínimos de países da América do Sul. Apenas a remuneração básica do Brasil está correta e, consequentemente, a ordem dos salários viralizada nas redes é incorreta.