Foto de Adriano da Nóbrega, morto em 2020, ilustra matéria falsa sobre prisão de filho de Lula

  • Este artigo tem mais de um ano.
  • Publicado em 7 de fevereiro de 2023 às 14:33
  • 1 minutos de leitura
  • Por AFP Brasil
Não é verdade que Fábio Luís, filho do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) conhecido como Lulinha, tenha sido preso no Paraguai em 2023 por porte de substâncias entorpecentes. Publicações com essa alegação foram compartilhadas centenas de vezes desde 3 de fevereiro, mas são embasadas em uma matéria falsa. Uma busca pelo título visto na captura de tela viral não localiza qualquer reportagem com esse conteúdo. Além disso, a suposta matéria é ilustrada com uma foto de Adriano da Nóbrega, morto em confronto com a polícia em 2020, e não do filho de Lula.

“Lulinha preso no Paraguai”, diz o título visto na imagem compartilhada no Twitter, no Facebook e no Instagram.

A captura de tela contém os elementos gráficos de uma reportagem online — título, subtítulo, assinatura e data de publicação —, mas sem o indicativo de onde teria sido publicada.

“De posse de entorpecentes, foi flagrado pela guarda nacional do PY”, assegura o subtítulo, seguido pela foto de uma pessoa detida.

Image
Captura de tela feita em 6 de fevereiro de 2023 de uma publicação no Facebook ( .)

No entanto, uma busca pela manchete viral no Google não levou a nenhum resultado sobre a possível prisão de Lulinha, mas sim a diversas matérias dizendo que tal fato não ocorreu.

Uma pesquisa pelo nome de Fábio Luís Lula da Silva no site da Polícia Nacional do Paraguai também não levou a nenhum resultado.

A foto que ilustra a suposta reportagem tampouco mostra o filho de Lula.

Buscas reversas pela imagem levaram a artigos (1, 2, 3) sobre Adriano da Nóbrega, apontado como chefe de milícia investigada no caso da morte da vereadora Marielle Franco.

Ex-tenente da Polícia Militar do Rio de Janeiro, Da Nóbrega foi morto em 9 de fevereiro de 2020 em confronto com policiais na Bahia.

Esta verificação também foi feita pela Agência Lupa.

Há alguma informação que você gostaria que o serviço de checagem da AFP no Brasil verificasse?

Entre em contato conosco