Band não retirou do ar vídeo com críticas a ministro do STF e ao sistema eleitoral após “ameaças”

Copyright © AFP 2017-2022. Todos os direitos reservados.

A Band não retirou do ar um vídeo em que um âncora da emissora faz críticas ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso e ao sistema eleitoral brasileiro. A gravação, compartilhada desde 6 de setembro de 2022 e que acumula mais de 10 mil compartilhamentos nas redes sociais, é datada de 2020 e pode ser encontrada no canal da emissora no YouTube.

“Grupo Band* apresentou esse vídeo hoje pela manhã, logo em seguida o Congresso e Senado ligaram para a TV intimando sob ameaça que retirassem dos demais telejornais, e já foi retirado do YouTube também! *Repasse sem dó!* *A coisa tá começando a aparecer!*”, escreveram usuários no Twitter (1, 2). O conteúdo também circula no Facebook (1, 2) e TikTok.

Captura de tela feita em 14 de setembro de 2022 de uma publicação no Twitter ( . / )

Uma busca por palavras-chave no Google permitiu encontrar o registro no canal da Rádio BandNews FM no YouTube, publicado em 16 de novembro de 2020.

No vídeo viralizado, o âncora Eduardo Oinegue critica as declarações do então presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, sobre o sistema eleitoral brasileiro. Em 2020, Barroso presidiu a Corte e deixou o cargo em agosto de 2022.

No comentário, Oinegue contesta a mudança promovida pelo TSE nas eleições municipais de 2020 sobre centralizar as apurações no Tribunal, em Brasília. Na apresentação da proposta, Barroso explicou: "Foi uma recomendação da perícia da Polícia Federal em nome de se prover maior segurança à totalização".

Num trecho da gravação original, o jornalista comenta: “Eu acho que é um desserviço o que disse o Barroso. Desserviço! Por que mexer no sistema? Por que os peritos da Polícia Federal recomendaram mudança no sistema? O sistema não é seguro? Então, aqueles que dizem que o sistema não é seguro têm razão em dizer que o sistema não é seguro? Porque a gente faz eleições desde 1996 com um sistema que não é 100% seguro? Tá certo o presidente Jair Bolsonaro em retornar os votos em papel? Para mim, parece uma bobagem retumbante”.

No entanto, o registro compartilhado nas redes sociais, não mostra o trecho em que Oinegue fala que o retorno ao voto em papel seria, na sua visão, “uma bobagem retumbante”. Com a omissão desse fragmento não fica compreensível parte do discurso do jornalista, em que ele pede mais transparência ao TSE.

A alteração na contabilização dos votos promovida pelo TSE, por sua vez, provocou atrasos na divulgação dos resultados do pleito eleitoral daquele ano. 

Em nota técnica, publicada em novembro de 2020 após o ocorrido, o TSE afirmou que o atraso “foi ocasionado por recurso de inteligência artificial existente em um otimizador do banco de dados Oracle, que garante a velocidade no processamento das informações. Apesar disso, os cidadãos brasileiros tiveram acesso ao resultado das urnas em todo o país no mesmo dia da realização da votação, antes da meia-noite”.

A assessoria de imprensa do Grupo Bandeirantes negou  à AFP, em 12 de setembro de 2022, que tivesse excluído o vídeo citado no conteúdo viral: “A informação não procede. Trata-se de um vídeo de 2020 que não foi retirado do ar pela emissora”.

O Senado Federal, também mencionado nas publicações, emitiu um comunicado em seu site e classificou como falsa a alegação de que o Congresso teria ameaçado a emissora.

Este conteúdo também foi checado pelo Estadão Verifica.