Um vídeo que supostamente retrata o "caos" na Argentina em 2021 mostra protestos de 2017

Copyright © AFP 2017-2022. Todos os direitos reservados.

“Esquerda destrói a Argentina - Dez-21”, diz o texto sobreposto a um vídeo, que mostra duas sequências diferentes, compartilhado mais de 6,9 mil vezes nas redes sociais ao menos desde o último dia 5 de dezembro. Mas isso é falso. Os dois registros, embora realmente tenham ocorrido na Argentina, datam de 2017, quando o país era governado por Mauricio Macri.

“Argentina está um caos. E você, brasileiro, vai esperar que o nosso país chegue a esse extremo?” e “O que a ARGENTINA tem em comum com a VENEZUELA? Ambos estão sofrendo com um governo de esquerda. Miséria, desemprego e guerra civil”, indicam as legendas de publicações, amplamente compartilhadas no Facebook (1, 2), no Twitter (1, 2) e no Instagram (1, 2), desde o início de dezembro de 2021.

As imagens vistas na sequência ainda são acompanhadas das frases “E o burro de esquerda no Brasil ainda quer o 9 dedos ladrão de volta”, em referência ao ex-presidente Lula, e “A maldita TV brasileira esconde de você”.

Captura de tela feita em 13 de dezembro de 2021 de uma publicação no Facebook ( . / )

O vídeo, com um minuto de duração, é composto, na realidade, por duas sequências diferentes: a primeira mostra um confronto entre manifestantes e policiais filmado de um ângulo superior e com duração de 16 segundos; e a segunda é um registro em terra enquanto ocorriam os choques.

Vídeos de protestos em 2017

Uma busca reversa por capturas de tela obtidas por meio da ferramenta InVid-WeVerify do primeiro trecho do vídeo, que mostra a vista aérea de um protesto, levou a uma postagem de 2020, em francês, que mencionava o confronto com a polícia devido à redução do valor das aposentadorias e um ano antes do que é indicado nas postagens virais.

Uma segunda busca, dessa vez no Facebook e no Twitter pelas palavras-chave em espanhol “Argentina + protesta”, levou a vídeos publicados nos dias 18 e 19 de dezembro de 2017 (1, 2, 3, 4), inclusive pela imprensa local (1), o registro mais antigo encontrado pela equipe de checagem da AFP.

Nesse período, o Congresso da Argentina avaliava uma reforma do sistema de previdência e benefícios sociais do governo do então presidente Mauricio Macri (2015-2019), causando a indignação de uma parcela da população.

A outra sequência vista nas postagens viralizadas já foi verificada em julho de 2021 pelo Checamos. 

Uma busca no Google pela frase, em espanhol, “brigas entre manifestantes e policiais em Buenos Aires na Praça do Congresso” levou a um vídeo de 18 de dezembro de 2017 que mostra a mesma cena, mas de outro ângulo.

A sequência viralizada foi registrada em frente ao edifício do Congresso argentino durante o debate da lei de reforma previdenciária naquele dia.

Na data, a AFP informou que o conflito durou cerca de quatro horas. O confronto também foi gravado em vídeo pela AFP.

Uma busca pelos termos “incidente”,“Congresso” e “Polícia de Buenos Aires” no site da agência de notícias argentina Télam levou a uma galeria de fotos com algumas imagens que correspondem a momentos-chave do vídeo.

Uma das fotografias, que coincide com a cena vista aos 49 segundos da gravação viralizada, mostra um policial atirado no chão. Um companheiro o ajuda enquanto um manifestante o atinge com uma bandeira vermelha e amarela. Junto a eles, um homem de short vermelho joga um objeto.

Comparação de capturas de tela feita em 13 de dezembro de 2021 entre o vídeo viralizado (E) e a foto no site da Télam ( . / )

Eleito pela coligação Cambiemos em 2015, Mauricio Macri deixou o cargo em 2019 após o peronista Alberto Fernández ser eleito no primeiro turno das presidenciais daquele ano. 

Conteúdo semelhante foi verificado pelas equipes da Agência Lupa e do Aos Fatos.