.

Não há registro de que George Orwell tenha dito que um povo que elege corruptos é cúmplice

Copyright © AFP 2017-2021. Todos os direitos reservados.

Uma frase atribuída ao escritor britânico George Orwell em que ele teria manifestado que os povos que votam em representantes corruptos são seus cúmplices, não suas vítimas, foi compartilhada mais de 178 mil vezes nas redes sociais ao menos desde 2018. Não há registro, contudo, de tais palavras em nenhum de seus livros ou ensaios, e seu próprio executor testamentário literário disse à AFP que a citação em questão não é sua.

“Um povo que elege corruptos, impostores, ladrões e traidores, não é vítima, é cúmplice! George Orwell”, afirma o texto sobreposto a uma imagem do escritor, compartilhado dezenas de milhares de vezes no Facebook (1, 2, 3) desde 2018 e que voltou a circular amplamente em 2021.

De acordo com as publicações, que também foram feitas no Instagram (1, 2) e no Twitter (1, 2, 3), a frase é do escritor britânico George Orwell, cujo nome é, na realidade, Eric Arthur Blair (1903-1950).

Conteúdo semelhante circulou em outros idiomas, como inglês, francês, espanhol, italiano e polonês.

Captura de tela feita em 17 de agosto de 2021 de uma publicação no Instagram ( . / )

Autor dos clássicos “A Revolução dos Bichos” e “1984”, Orwell publicou outras quatro obras, além de três livros de não ficção. Também foi um grande ensaísta e famoso jornalista.

Uma busca feita pelo Checamos mostra que esse conteúdo circula em português pelo menos desde 2015 (1). Em espanhol, contudo, há registros nas redes sociais datados de 2012, sem mencionar o escritor britânico, e de 2014, onde já havia a atribuição a Orwell. 

As alegações, entretanto, não indicam em qual de suas obras apareceria tal declaração ou em qual situação ela teria sido dita.

Sem pistas na obra de Orwell

A AFP fez uma busca detalhada nas obras de George Orwell “Dias na Birmânia”, “A Filha do Reverendo”, “A Flor da Inglaterra”, “Um Pouco de Ar, por favor”, “A Revolução dos Bichos” e “1984”, sem encontrar a suposta frase.

A declaração viralizada tampouco aparece em suas obras de não ficção “Na pior em Paris e em Londres”, “O Caminho para Wigan Pier” e “Homenagem à Catalunha”.

Além disso, uma busca dentro dos ensaios escritos pelo autor (1, 2) não forneceu resultados, assim como uma busca em seus diários, publicados online pela Fundação Orwell, com sede em Londres.

Um homem lê a tradução russa de "1984", de George Orwell, na praça Pushkinskaya em Moscou, em 28 de abril de 2021 ( AFP / Dimitar Dilkoff)

   

A Sociedade Orwell e a Fundação Orwell 

O agente literário Bill Hamilton, executor testamentário de George Orwell e parte da junta diretora da Fundação Orwell, confirmou à AFP que a citação compartilhada nas redes sociais não aparece em sua obra. Também assinalou que é “gramaticalmente fraca”, o que não condiz com a escrita habitual de Orwell.

Benedict Cooper, encarregado da área de comunicação da Sociedade Orwell, que promove o seu trabalho, declarou à AFP que a citação é falsa. “Posso confirmar que se trata de uma citação falsa. Orwell nunca a escreveu em nenhum de seus ensaios nem em nenhum de seus livros”.

A suposta frase do autor de “1984” tem circulado amplamente e não apenas nas redes sociais. 

Em junho de 2018, em razão do 115º aniversário do nascimento do escritor, a revista Newsweek publicou um compilado de algumas de suas citações, incluindo a verificada neste artigo, com a afirmação de que havia sido escrita em 1940, mas sem dizer a fonte. Quase três anos depois, em fevereiro de 2021, o artigo foi atualizado para explicar que Orwell não era o autor da mesma.

Tradução e adaptação