A Holanda tem dezenas de pontes verdes e a da foto viral fica em Singapura

Copyright © AFP 2017-2021. Todos os direitos reservados.

Várias imagens de pontes cobertas de vegetação sobre estradas, construídas para que os animais possam cruzar com segurança de um lado para o outro, foram compartilhadas mais de 15 mil vezes nas redes sociais desde, pelo menos, 17 de março de 2018. De acordo com as publicações, a “Holanda colocou 600 pontes” para passagem de animais. Mas esse número está incorreto e algumas fotos que acompanham as publicações não foram tiradas no país europeu e sim em Singapura, na Ásia. Quanto à Holanda, existem centenas de instalações para a vida selvagem atravessar os trilhos, mas as pontes deste tipo, que são muito caras, são menos numerosas. 

“Essa é a vida selvagem na Holanda. O país já instalou mais de 600 pontes para ajudar os animais a cruzarem as rodovias de maneira segura”, dizem as publicações que compartilham no Facebook (1, 2, 3, 4) e no Instagram (1, 2) imagens de diferentes ângulos de uma ponte coberta por vegetação sobre uma rodovia.

A declaração também circulou em espanhol e em francês.

Captura de tela feita em 26 de julho de 2021 de uma publicação no Facebook

Ponte em Singapura

A partir de uma busca reversa de imagens com a extensão InVID-WeVerify*, a equipe de checagem da AFP descobriu que duas das imagens virais (1, 2) compartilhadas nas publicações em português correspondem a uma ponte de Singapura. Vários meios de comunicação asiáticos relataram a abertura ao público desta estrutura de 62 metros de comprimento em 2015.

Nesses artigos, os créditos das fotos são do Serviço de Comunicação de Parques Nacionais de Singapura. A agência descreve as vantagens ecológicas dessa infraestrutura, chamada Eco-Link@BKE e construída em 2013.

Captura de tela da página de parques nacionais de Cingapura, feita em 22 de julho de 2021

Outra busca reversa utilizando uma terceira imagem, presente em um artigo em português que também viralizou, mostrou que a ponte realmente fica nos Países Baixos. Ela trata-se do Ecoduto Woeste Hoeve, localizado no município holandês de Beekbergen.

No catálogo de imagens digitais Alamy, há fotos da mesma ponte, bem como na conta do Instagram de uma fotógrafa que aparece nos créditos de veículos de mídia do país.

Existem, mas não são 600

A Universidade de Wageningen (Países Baixos) explica em seu site que este tipo de estrutura "permite que os animais cruzem uma estrada" e numera "atualmente 30" pontes construídas no país, enquanto "estão previstas [mais] cerca de vinte".

Um relatório de 2019 do Ministério de Infraestrutura e Meio Ambiente dos Países Baixos contabiliza 68 pontes verdes ou “ecodutos” construídos, em construção ou planejados (página 61).

As travessias criadas para a vida selvagem em estradas e rodovias são muito comuns no país europeu, que possui “várias centenas” de pontes, segundo a análise de 2015 da agência de pesquisas Bureau Waardenburg, de Culemborg (Países Baixos). Esse número, no entanto, abrange estruturas de todos os tipos, não apenas pontes: túneis subterrâneos ou vias verdes que os animais compartilham com os humanos.

Segundo o pesquisador urbano e ecológico Edgar van der Grift, de Wageningen, essas centenas de pontes se localizam apenas sobre rodovias. As travessias de vida selvagem nas estradas provinciais chegam a mais de 1.400, de acordo com este relatório de 2018.

“Existem inúmeras passagens subterrâneas, como túneis para raposas e texugos, por exemplo. (...) Existem também outros caminhos com ciclovias e calçadas de pedestres onde encontramos areia e arbustos que servem para a passagem da fauna. (...) Não é o mesmo” que “ecoduto”, explicou à AFP Marcel van Dun, porta-voz do Centro Nacional de Manejo Florestal dos Países Baixos.

“Não existem 600 pontes ecológicas nos Países Baixos. O número 30 está mais próximo” da realidade, disse à AFP Frans Sijtsma, professor da Universidade de Groningen e autor de um estudo sobre o assunto publicado em junho de 2020. Segundo Van der Grift, o número de degraus elevados para os animais é mais alto, e atinge "70-80 pontes verdes".

No texto, Sijtsma contabilizou, até 2017, 31 pontes verdes nos Países Baixos, de 479 estruturas que permitem a passagem de animais por rodovias. Os ecodutos são mais caros (5,79 milhões de euros em média contra os 794 mil euros que custam os túneis maiores, segundo o estudo), mas são mais "eficazes", segundo o investigador. “Do ponto de vista ecológico, são eficazes. (...) Comparamos a presença de animais no entorno dessas estruturas cinco anos antes e cinco anos depois de sua construção e constatamos uma melhora”, nas palavras de Sijtsma. 

O alto custo é parcialmente explicado pelo tamanho e natureza das eco-pontes. Não é uma simples ponte sobre uma estrada, mas uma "estrutura bastante complexa a ser construída em um nível técnico e ecológico", disse à AFP Luc Chrétien, chefe da divisão de Biodiversidade de Cerema, órgão público francês do Ministério a Transição Ecológica e Solidária, encarregado, entre outras funções, de administrar e contar as pontes para a fauna em território francês.

“São projetadas para animais passarem. A ponte está coberta de vegetação, tem árvores, às vezes, charcos para anfíbios, troncos ou pedras... É uma gestão de muitos detalhes”, comentou.

“Os animais sempre se movem por corredores ecológicos para viver, se alimentar, se reproduzir. As estradas interrompem essa continuidade e cortam os territórios. O objetivo das passagens de fauna é recriá-los”, explicou.

A França e a Espanha também contam com pontes desse tipo, embora ainda não sejam as mais comuns ao projetar passagens para animais selvagens evitarem as estradas.

*Uma vez instalada a extensão InVid-WeVerify no navegador Chrome, clica-se com o botão direito sobre a imagem e o menu que aparece oferece a possibilidade de pesquisa da mesma em vários buscadores.

François D'ASTIER
Tradução e adaptação