Esta foto de uma tempestade foi tirada em dezembro de 2019 no Rio Grande do Sul

Copyright © AFP 2017-2020. Todos os direitos reservados.

A impactante imagem de uma tempestade foi compartilhada mais de 4,4 mil vezes nas redes sociais desde o último dia 1º de julho como se tivesse sido registrada em Santa Catarina durante a passagem do “ciclone bomba” no final de junho pela região sul do Brasil. A fotografia em questão foi tirada, entretanto,  em dezembro de 2019 na cidade de Torres, no Rio Grande do Sul.

“Essa imagem foi tirada de um alto de um prédio quando ciclone estava passando por Santa Catarina. Para você ter uma noção que o povo catarinense sofreu… [sic] e “Florianópolis - SC ... Assustador !”, foram algumas das legendas das publicações compartilhadas milhares de vezes no Facebook (1, 2) em apenas um dia.

Em uma das postagens, inclusive, o autor especifica que a foto foi tirada “ontem”, em referência ao dia 30 de junho, quando um ciclone extratropical atingiu os estados da região sul do país causando chuvas torrenciais e ventos de mais de 100 km/h.

Captura de tela feita em 2 de julho de 2020 de uma publicação no Facebook

Por meio de uma busca reversa*, a equipe de checagem da AFP no Brasil encontrou a imagem viralizada publicada em 24 de março de 2020 no site de domínio europeu Severe Weather em um artigo sobre um concurso de fotografias de tempestades.

Vencedora do 2º lugar, a imagem tem a seguinte descrição, em tradução livre do inglês: “‘Supercélula em Torres, Rio Grande do Sul, Brasil em 12 de dezembro de 2019’ por Gabriel Zaparolli”.

Ao buscar o nome de Zaparolli no Google, foi possível chegar ao seu perfil no Twitter, onde ele se descreve como “caçador de tempestades”. De fato, há uma publicação de 12 de dezembro de 2019 de três fotografias de uma tempestade, entre as quais está a imagem viralizada. Também há registros em sua página no Facebook e em sua conta no YouTube.

O texto que acompanha as fotos diz: “Em questão de minutos uma Super Célula com micro-explosão chegava a Torres/RS com ventos que passavam de 80 km/h provocando chuva de granizo pequeno, ventos que causaram danos pela cidade e muito raio, confira as imagens abaixo! [sic].

O Checamos entrou em contato com Gabriel Zaparolli para confirmar a autoria da imagem e saber detalhes de como ela foi registrada: “Essa fotografia está rolando muito mesmo, estão falando que é em Florianópolis… sendo que foi registrado aqui em Torres. Estou tendo muito problema com essa foto porque estão compartilhando sem os devidos créditos e estão cortando o meu logo”.

Zaparolli também indicou que as fotos foram tiradas a partir da cobertura de um prédio. “Para registrar essas fotos eu apenas fui clicando, esperando a tempestade ganhar força, fui observando com imagens de radar. Só usei uma câmera e uma lente grande-angular para pegar em detalhes, de ponta a ponta, a formação da nuvem de temporal”.

Ao Checamos, Zaparolli enviou os metadados da imagem mostrando a data e hora em que foi tirada. Além disso, partindo do endereço indicado por ele, é possível notar que o mesmo edifício visto na sequência de fotografias pode ser identificado no Google Maps.

Comparação feita em 2 de julho de 2020 entre uma das fotos de Gabriel Zaparolli e a localização no Google Maps

Há um comentário de Zaparolli em uma das publicações que atribuem a imagem ao ciclone que atingiu recentemente o sul do Brasil, incluindo o estado de Santa Catarina: “Isso é em Torres....” e “E solicito que delete a publicação por não conter os créditos na foto e propagação de notícia falsa…”.

A cidade de Torres, no Rio Grande do Sul, está localizada a mais de 380 quilômetros de Santa Catarina.

Com a passagem do “ciclone bomba” no sul do Brasil, foram notificadas mortes, além do registro de estragos em várias localidades e queda no fornecimento de energia elétrica.

Em resumo, é falso que a imagem viralizada nas redes sociais mostre o ciclone extratropical que chegou a Santa Catarina no final de junho de 2020. A imagem foi tirada pelo fotógrafo Gabriel Zaparolli na cidade de Torres, no Rio de Grande do Sul, em dezembro de 2019 durante a passagem da chamada “supercélula” pela cidade.

*Uma vez instalada a extensão InVid-WeVerify no navegador Chrome, clica-se com o botão direito sobre a imagem e o menu que aparece oferece a possibilidade de pesquisa da mesma em vários buscadores.

AFP Brasil