Colheita de trigo em uma fazenda perto de Inverleigh, na Austrália, em 12 de janeiro de 2021 ( AFP / WILLIAM WEST)

Projeto de Lei agrícola na Austrália não proíbe a população de cultivar sua própria comida

Copyright © AFP 2017-2022. Todos os direitos reservados.

Publicações nas redes sociais, compartilhadas milhares de vezes em múltiplos idiomas desde 13 de maio de 2022, afirmam que uma lei aprovada na Austrália teria como objetivo proibir a população de “cultivar sua própria comida". No entanto, o projeto de lei mencionado ainda está em tramitação. À AFP o governo do estado australiano de Vitória, localizado no sudeste do país, confirmou que o texto não possui abrangência nacional e tampouco inclui a proibição citada nas alegações virais.

“CIRCULA NA REDE: AGENDA 2030/NOM! IMPORTANTE!! O primeiro-ministro australiano Dan Andrews aprovou uma lei que proíbe o cultivo de sua própria comida”, diz um trecho do conteúdo que circula no Facebook (1, 2) e Twitter (1, 2, 3).

Algumas publicações compartilham o link de um artigo intitulado, em tradução livre do espanhol: “Austrália: autoridades aprovam lei que proíbe a população de cultivar seus próprios alimentos”.

Captura de tela feita em 20 maio de 2022 de uma publicação no Facebook ( . / )

De acordo com o texto, o Parlamento australiano do estado de Vitória, localizado no sudeste do país, teria aprovado uma lei agrícola, que supostamente também permitiria a ampliação dos poderes das forças de ordem para "revistar propriedades e pessoas sem ordem judicial, aumentar multas de US $ 1.800 a US $ 10.000 por fornecer informações falsas ou enganosas".

Alegações semelhantes também circularam em espanhol, francês e inglês.

Contudo, o texto do projeto não cita nenhuma proibição do cultivo de alimentos para consumo próprio e seu conteúdo pode ser visto na íntegra no site do Parlamento de Vitória.

"As mudanças introduzidas [por esta legislação] não proíbem ninguém de cultivar seus próprios alimentos. Elas visam apoiar o setor agrícola, que representa mais de 17 bilhões de dólares anuais para a economia do estado e [gera] mais de 67.100 empregos", disse um porta-voz do governo vitoriano à AFP. 

Consultado pela AFP, um porta-voz do Parlamento de Vitória negou a veracidade do conteúdo compartilhado nas redes sociais: "é falsa a afirmação de que a Lei da Agricultura proíbe o cultivo da própria comida".

O que diz o projeto de lei?

O “Projeto de Emenda à Legislação Agrícola 2022” foi apresentado pela primeira vez ao Parlamento de Vitória em 5 de abril de 2022. O texto sugere a alteração de 11 leis, algumas das quais foram criadas nas décadas de 1980 e 1990. Tais modificações teriam como objetivo melhorar a “ eficiência, funcionamento, administração e cumprimento” da legislação, afirmou a presidente do Parlamento de Vitória, Jacinta Allan, durante a sua segunda leitura parlamentar, em 6 de abril de 2022.

"A globalização e a expansão do comércio aumentaram a exposição de Vitória aos riscos de biossegurança e aumentaram o número de novas incursões no Estado. As emendas criam novas violações e impõem novos requisitos para lidar com esses riscos, (...) gerir os riscos associados a ervas daninhas e pragas animais", disse Jacinta Allan durante a sua apresentação. 

Durante os debates parlamentares de 3 de maio de 2022, transcritos no site do Parlamento de Vitória, a deputada da oposição Roma Britnell defendeu alguns elementos do projeto: 

"Na verdade, algumas dessas emendas são positivas, como permitir que funcionários autorizados investiguem melhor os eventos para evitar a invasão de plantas nocivas ou doenças infecciosas de certos animais ou problemas de biossegurança", disse. 

De acordo com Britnell, com essa mudança seria possível lidar com epidemias como a que “vivemos atualmente com a encefalite japonesa”, uma doença viral transmitida por picadas de mosquito. 

Até 20 de maio de 2022, o projeto ainda estava em tramitação no parlamento local, após ser aprovado na Câmara baixa.

“Tergiversação” e “interpretação equivocada”

Em resposta aos rumores generalizados de que os cidadãos australianos seriam proibidos de cultivar seus próprios alimentos, o Departamento de Agricultura de Vitória desmentiu essa e outras alegações enganosas em uma seção de seu site oficial. 

"As emendas não resultarão na destruição de plantações, nem impedirão que as pessoas cultivem seus próprios alimentos", disse a instituição.

Da mesma forma, a Federação de Agricultores de Vitória (VFF, na sigla em inglês) explicou em comunicado publicado em 6 de maio de 2022 que "a desinformação sobre o projeto sugere que os agentes autorizados poderão realizar buscas sem ordem judicial, sem o consentimento do proprietário e sem serem obrigados a identificar-se", o que supõe, segundo o órgão, uma "tergiversação" e uma "má interpretação" do texto. 

No início de maio de 2022, a Austrália juntou-se a outras grandes potências agrícolas, incluindo a União Europeia, os Estados Unidos e o Canadá, comprometendo-se a garantir a segurança alimentar global diante dos problemas causados pelo conflito russo-ucraniano.

"Nós nos comprometemos a trabalhar juntos para garantir que haja comida suficiente para todos, incluindo os mais pobres, os mais vulneráveis e os deslocados ", escreveram os 51 membros da Organização Mundial do Comércio (OMC) em um comunicado conjunto datado de 6 de março.

23 de maio de 2022 Altera formatação do primeiro parágrafo