Beber suco de cebola não impede o desenvolvimento de problemas na próstata

Copyright © AFP 2017-2020. Todos os direitos reservados.

Publicações compartilhadas centenas de vezes em redes sociais desde agosto do ano passado garantem que beber suco de cebola impede o desenvolvimento de qualquer problema na próstata. As postagens, que voltaram a circular em fevereiro de 2021, contêm múltiplas informações incorretas. Segundo urologistas consultados pela AFP, três patologias podem afligir a próstata, indo desde uma inflamação até um câncer, e, até hoje, nenhum estudo estabeleceu uma relação entre consumir cebolas e o estado desta glândula.

“QUER TER UMA PRÓSTATA SAUDÁVEL?”, começam publicações compartilhadas mais de 600 vezes no Facebook (1, 2, 3), que apresentam uma suposta solução milagrosa para proteger essa glândula do aparelho reprodutor masculino: beber um suco composto 100% de cebola, pela manhã, com o “estômago vazio”.

A próstata “acumula toxinas devido à urina e ao sêmen que passam pela uretra” e é importante “desintoxicá-la periodicamente” para evitar inflamações e problemas como “fraqueza sexual” e “ejaculação precoce”, explicam as postagens.

Para isso, existe uma receita “simples, barata e menos restritiva”, que consiste em triturar “8 cebolas grandes” para extrair o seu suco. Essa bebida deve ser consumida na proporção de 33 centilitros a cada três semanas, detalham os internautas. Mensagem semelhante também circula amplamente em francês

Captura de tela feita em 11 de fevereiro de 2021 de uma publicação no Facebook

A próstata é uma glândula localizada logo abaixo da bexiga. Ela envolve a uretra, um órgão usado para urinar, e é onde é criado o esperma.

Três patologias podem afetar essa glândula do aparelho reprodutor: uma inflamação ou uma infecção (prostatite), um inchaço (hipertrofia benigna), e um câncer.

Sem toxinas armazenadas na próstata

Para justificar a utilização da receita viralizada, as publicações garantem que a “a próstata acumula toxinas devido à urina e ao sêmen” quando “as secreções residuais aí permanecem” causando “sua intoxicação progressiva”. Mas isso é falso, explicou Pierre Yapo Koman, urologista do Centro Hospitalar Universitário de Cocody, em Abidjan, na Costa do Marfim.

“O esperma é um líquido fisiológico, produzido pela próstata e que não contém toxinas”, disse à AFP o especialista nos sistemas urinário e genital, que destacou a importância de diferenciar o papel desempenhado por cada órgão, em particular o rim e a bexiga, para compreender a maneira como eles interagem.

Na verdade, a próstata aumenta de tamanho com a idade: ela pesa em média 15 gramas aos 15 anos e até 70-80 gramas aos 80. Essa mudança no tamanho pode criar complicações como a “compressão da uretra” que “pode impedir que a urina flua completamente” até formar “resíduos pós-micção” na bexiga, afirmou Yapo Koman.

No entanto, o cérebro detecta esse tipo de disfunção e faz com que o rim envie menos toxinas à bexiga, para reduzir os resíduos que se acumulam. “Só que se o rim fica lento, ele funciona menos e morre. E é isso que pode levar a graves complicações, como a insuficiência renal”, detalhou o médico.

Não é, portanto, a próstata que “acumula toxinas” e se intoxica, mas a bexiga, e isso pode provocar graves problemas renais. 

Um cirurgião realiza uma mastectomia de próstata assistida por robô em um hospital em Lyon, França, em 10 de abril de 2014 (Jeff Pachoud / AFP)

Problemas eréteis, impotência

As publicações no Facebook também prometem resultados fenomenais àqueles que seguirem sua recomendação. “Para todos nunca sofrerem de doenças da próstata”, como a disfunção erétil, garantem.

Múltiplos artigos publicados em periódicos científicos ou em sites especializados coincidem ao afirmar que patologias da próstata podem causar problemas de ereção, mas não de maneira sistemática.

“Existem muitas causas para a disfunção erétil. Podem ser vasculares, psicológicas ou neurológicas”, explicou à AFP o professor Alexandre de la Taille, urologista no hospital Henri Mondor, nos arredores de Paris.

Ao contrário do que afirmam as postagens viralizadas, uma próstata saudável não pode, portanto, garantir sozinha a ausência de problemas de ereção.

Crenças que substituem consultas médicas

Além dessas informações incorretas sobre o funcionamento do aparelho genital, nada permite afirmar que o consumo de cebola tenha um efeito benéfico sobre a atividade da próstata.

Segundo o site especializado prostate.fr, a cebola é um dos ingredientes usados há tempos para tratar a hipertrofia da próstata. Mas, sua eficácia é “pouco documentada em nível científico”, afirma.

“Nenhum estudo sério mostrou ligações entre a cebola e uma das três doenças da próstata, da mesma maneira que não foi estabelecida nenhuma relação entre toxinas e patologias da próstata”, disse o professor de la Taille.

O urologista Koman pede que pessoas com problemas na próstata consultem um médico, e não dependam de publicações na internet. “Noventa e nove por cento dos pacientes que consultam para a próstata o fazem tarde demais. A doença então passou de benigna, a avançada”, disse o médico, denunciando o efeito da desinformação na saúde dos pacientes.

O câncer de próstata é um dos cânceres mais comuns entre os homens, junto com o câncer de pulmão e o câncer colorretal.

De acordo com um estudo publicado em 2019 por Pierre Aubry e Bernard-Alex Gaüzère, médicos especializados em medicina tropical, “a incidência” do câncer de próstata é “mais elevada entre os negros do que entre os brancos”. “Por exemplo, é o dobro entre os nascidos em Guadalupe [território ultramarino francês no Caribe], onde 90% têm origem africana, em comparação com os franceses brancos da metrópole”, detalham.

Segundo eles, essa diferença se explica pela “genética”, mas também por possíveis “fatores alimentares (consumo excessivo de gordura na dieta, excesso de calorias e de ingestão de proteínas animais)” e ambientais, como a poluição atmosférica.

Em resumo, não há evidências de que o consumo de cebola possa impedir o desenvolvimento de doenças na próstata. Além disso, a próstata não acumula toxinas e mantê-la saudável não é garantia de que a pessoa não desenvolverá outros problemas como a disfunção erétil e o câncer.

Tradução e adaptação
AFP Brasil