As aftas podem ter várias causas e não são produto do "crescimento" de bactérias orais

Copyright © AFP 2017-2022. Todos os direitos reservados.
 

Publicações segundos as quais as aftas são consequência de um sistema imunológico “fraco” que não consegue “combater” as bactérias na boca foram compartilhadas mais de 450 vezes nas redes sociais desde pelo menos dezembro de 2020. No entanto, essa alegação é imprecisa: há muitos motivos para o surgimento das aftas, que não são aproveitadas pelas bactérias que não estão na boca para se desenvolverem. 

“Você sabia? Quando você tem aftas… seu sistema imunológico está lhe dizendo que ele está ‘fraco’ e que não pode combater bactérias que geralmente não estão em sua boca que aproveitam essa situação para se desenvolverem”, dizem as publicações compartilhadas no Facebook (1, 2) e no Instagram (1, 2).

Captura de tela feita em 30 de novembro de 2021 de uma publicação no Facebook

As aftas são multicausais

“A imunossupressão é apenas uma das [muitas] causas” que podem gerar o aparecimento de aftas, disse à AFP o dentista cubano Javier Álvarez, especializado em Estomatologia.

Segundo Álvarez, o que as publicações fazem é reforçar a ideia de que “a afta é o alarme por excelência da imunossupressão”, o que, para ele, é uma “meia verdade”.

“Embora o aparecimento de aftas possa estar relacionado com uma imunossupressão, essa presença não é razão suficiente para indicar” que as defesas estão baixas, acrescentou.

De acordo com a literatura científica (1, 2, 3), úlceras orais ou aftas são lesões inflamatórias que podem ocorrer por múltiplas causas, como alterações imunológicas, infecções, déficits nutricionais, genética, estresse, aparelho dentário, alergias por contato, alergias alimentares, doenças autoimunes, alterações hormonais durante a menstruação, entre outros fatores. 

Quando as aftas começam a aparecer “geram uma espécie de sensação de ardor”. A úlcera que aparece depois “é o seu arquétipo definitivo”, explicou Álvarez.

As aftas podem ser classificadas de acordo com sua gravidade e duração. Como explicou à AFP a dentista e professora uruguaia Mariela Cuestas, as aftas - mais frequentes, com duração de 10 a 14 dias - são doenças autoimunes, ou seja, “que começam e terminam sem tratamento”.

As aftas maiores - menos frequentes e mais dolorosas, durando mais de 14 dias - podem estar associadas a doenças, como a aids.

Com uma higiene bucal deficiente, a afta pode ficar muito infectada, disse Cuestas, porque “temos uma flora bucal muito forte, muito importante”, que é, inclusive, “mais nociva do que a que temos no ânus e mais infecciosa do que a de um cachorro”.

Desenvolvimento das bactérias bucais?

As publicações também afirmam que, quando o sistema imunológico está "fraco", ele é incapaz de "combater" as bactérias orais. Segundo Álvarez, esse trecho da frase é verdadeiro, por não poder combater “nem [bactérias] orais nem de qualquer espécie, pois o sistema imunológico se encarrega da defesa específica contra germes de todos os tipos” e, “se falhar, todos os mecanismos de defesa específicos falharão”.

No entanto, o conteúdo viral afirma que as bactérias “aproveitam essa situação para se desenvolverem”. Ambos os especialistas concordaram que não é esse o caso.

Isso "nunca" acontece, disse Cuestas. “As bactérias nascem, crescem, se desenvolvem, se reproduzem (se multiplicam) e morrem. Esse é o ciclo da vida e de forma alguma no seu desenvolvimento poderão evoluir para aftas”, disse Álvarez. Elas só podem ser uma “consequência”, acrescentou, indicando que elas não poderiam se “aproveitar” da situação.

No entanto, a presença de uma afta "não define em absoluto" se um indivíduo pode ou não pode "combater microorganismos", como bactérias, detalhou o especialista. 

Para explicar isso, Álvarez deu um exemplo: se uma pessoa absolutamente saudável, jovem, que pratica esportes e não tem nenhuma doença, fica acordada até tarde e bebe muito álcool, no dia seguinte ela pode apresentar aftas. Mas ela não as apresenta porque tem uma deficiência para “combater bactérias”, mas porque estressou e sobrecarregou o corpo, principalmente o sistema digestivo.